Crise humanitária

A crise humanitária ocorre quando uma catástrofe atinge os setores mais importantes de uma sociedade trazendo sofrimento. É um tipo de situação de emergência que impacta segmentos como saúde e política. Em sua decorrência, muitas mortes são causadas e geralmente o território afetado precisa de auxílio do exterior. Situações que podem causar uma crise humanitária são: desastres naturais, alterações ambientais, guerras e pandemias.

De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), uma crise humanitária apresenta-se com a configuração de uma situação catastrófica. Essa ocorrência afeta setores básicos da sociedade e resulta na reunião de forças internas e externas para a reintegração e manutenção da paz por tempo prolongado.

As consequências de uma crise humanitária geralmente prejudicam atividades da base social como infraestrutura da área da saúde, violência, moradia, abastecimento de água e de alimentos. Esse tipo de crise exige atenção redobrada em relação às crianças na faixa de idade entre 0 e 5 anos e também aos idosos, pois são os mais indefesos dentro de uma situação emergencial. Em outro aspecto, medidas de controle social precisam ser tomadas de maneira urgente, pois quaisquer cenários agudos de violência ou agitação política podem aumentar significativamente o número de mortes.

Um caso de agitação social em meio à crise humanitária aconteceu no Brasil e no Estados Unidos em 2020 durante a pandemia da Covid-19. Grupos de cidadãos que não acreditavam na existência do coronavírus, causador da enfermidade, saíram em carreatas exigindo que a sociedade retornasse à normalidade. Porém, suas reivindicações não foram atendidas devido ao número elevado de mortes diárias nos dois países, que comprovou o alto índice de letalidade do vírus.

Os principais atingidos pelas crises humanitárias são sobremaneira as populações em situação de vulnerabilidade. Se dentro de um cenário normal esse grupo já apresenta suscetibilidade aos riscos, durante as emergências de calamidade pública, que trazem problemas específicos, esta parcela da população torna-se ainda mais exposta. Países com economia muito dependente do mercado financeiro e sem políticas estatais sólidas acabam sendo os mais prejudicados neste tipo de ocorrência. Assim, incapacitados de responder à altura uma situação de crise humanitária, precisam de acolhimento material e assistência internacional.

Os países desenvolvidos, mas com fragilidades em alguns setores, também são sobremaneira afetados em casos de emergência. Durante o começo da crise sanitária causada pela Covid-19, a Itália, uma das nações inicialmente mais afetadas pelo vírus, ilustrou este tipo de situação ao receber auxílio material da China, além da ajuda de médicos provenientes da Rússia e de Cuba, que ajudaram a mitigar a situação no país europeu. Outro caso de insuficiência para o combate à pandemia ocorreu no Brasil. Com parque industrial apresentando baixa capacidade de produção, a nação apresentou inaptidão para produzir itens básicos de combate ao vírus, como máscaras, respiradores e paramentação médica.

Existem muitos outros casos de crises humanitárias que assolaram o mundo. Os anos de conflito armado na Síria tiveram por resultado uma situação de emergência que afetou não somente o mundo árabe, mas também grande parte da Europa e outros continentes. Milhões de cidadãos precisaram de auxílio material e refugiaram-se do país para escapar da violência do conflito armado. De acordo com informações da ONU, mais de 900.000 pessoas, incluindo idosos e crianças, viviam em condições desumanas em acampamentos abarrotados e sem capacidade de prover itens básicos de alimentação e saúde.

Embora devastadoras, a crises humanitárias deixam em evidência as principais dificuldades de um país. Em sua ocorrência, os setores com menos investimento público acabam sendo os mais afetados. Nações com base de produção desenvolvida, alto índice de manufatura tecnológica, áreas de educação, saúde, segurança e alimentos com funcionamento apropriado às necessidades populares, são as menos impactadas pelos efeitos destes eventos. Possuem ainda a possibilidade de efetuar um planejamento para amenizar os danos, tanto físicos como psicológicos, deixados nos cidadãos.

Fontes:

AZEVEDO, Antonio Carlos do Amaral. Dicionário de nomes, termos e conceitos históricos. 3ª ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999.

https://www.humanitariancoalition.ca/what-is-a-humanitarian-emergency

https://www.britannica.com/topic/complex-humanitarian-emergency

https://br.sputniknews.com/opiniao/2018022110583528-especialista-onu-venezuela-crise-humanitaria/

Arquivado em: Sociedade