Cuba

Publicado em 20/09/2022

Com uma área de 110.861 km², Cuba é a maior ilha do Mar do Caribe (Mar das Caraíbas) localizada na América Central. Ao todo, são mais de 350 ilhas completando o arquipélago. Fazendo fronteira marítima com os Estados Unidos da América, Jamaica e México, seu clima é tropical úmido, subdividido entre duas estações, marcadamente entre a seca (novembro a abril) e a das chuvas (maio a outubro).

O idioma predominante é o espanhol. Sua população está em torno de 11.221.060 (2017) habitantes, sendo Havana (capital) a mais populosa. Está distribuída entre as etnias: mestiça (51%), branca (37%), negra (11%) e chinesa (1%). As religiões do país são: católica (em sua maioria), protestante, ioruba, entre outras de matriz africana. Cuba é uma República Socialista Leninista-Marxista Unitária e sua bandeira foi criada em 1849, pelo General Narciso López, mas adotada apenas em 1902. A moeda de Cuba é chamada Peso Cubano (CUC). O IDH do país é de 0,815, a expectativa de vida está entre 79 a 80 anos e o analfabetismo é de 0,2%.

História de Cuba

Inicialmente, a ilha era povoada pelos ameríndios Ciboneys e Guanahatabeys, que estavam também em toda a região das Antilhas (mar do Caribe) e América do Sul. Depois, a região foi invadida e habitada pelos Tainos (povo aruaque). Somente a população aruaque somava cerca de um milhão de habitantes. Viviam em grandes aldeias, mantinham sua agricultura, pescavam, coletavam mariscos e caçavam aves, lagartos e animais de pequeno porte. Em 1492, Cristóvão Colombo desembarca na Ilha de Cuba. Após o início da ocupação espanhola, em 1550, os povos originários tiveram sua população reduzida quase por completo devido à exploração escravista (mineração, entre outras atividades) que levou a população à fome, doenças e suicídios coletivos.

Cuba, a joia da coroa da Espanha

A colônia (1492-1898) era uma das mais prósperas do Império Espanhol. Foi a maior produtora de cana-de-açúcar, exportando para a Espanha, Grã-Bretanha e Estados Unidos. A mão de obra era feita por africanos escravizados, trazidos para todas as colônias da América. Com a decadência e declínio geopolítico da Coroa Espanhola no final do século XIX, começaram os movimentos independentistas. Cuba foi o penúltimo país americano a abolir a escravidão (1886). Após o fim do processo abolicionista, houve um movimento de imigrantes chineses trazidos para Cuba, substituindo a mão de obra escrava.

A guerra hispânico-americana

Em 1898, o encouraçado norte-americano Maine, ancorado no porto de Havana, explodiu subitamente. A imprensa dos EUA acusou a Espanha do incidente e deu início à guerra que resultou na ocupação militar estadunidense em Cuba, Porto Rico, Havaí, Filipinas e Guam. Posteriormente, uma investigação concluiu que o episódio da embarcação, na verdade, foi um acidente.

José Martí e Emenda Platt

José Julian Martí Pérez, nascido em Havana (1853), foi um educador, político nacionalista, poeta e maçom. Ele fundou o PRC (Partido Revolucionário Cubano) em 1892. Foi morto em combate pela independência de Cuba em 1895, pelo exército espanhol. Com isso, incitou postumamente a expulsão das tropas colonialistas e da marinha dos EUA.

Durante o acordo de paz entre Espanha e Estados Unidos, a proposta de independência de Cuba, tutelada pelos EUA, foi acertada sem a presença do PRC. Em 1902, o primeiro presidente civil na recém-fundada República Cubana foi Thomás Estrada Palma, que fez parte de uma ala do PCR instrumentalizada pelo Governo dos EUA. Criou-se uma Assembleia Constituinte com uma série de condições, a mais importante delas, a Emenda Platt, criada por um senador norte-americano. A emenda impunha plenos poderes de interferência estadunidense nos processos políticos e econômicos de Cuba, além da instalação de base militar em Guantánamo. Ficou acordado também que a moeda corrente seria o dólar.

Bandeira de Cuba, adotada em 1902.

Os presidentes que se sucederam mantiveram a emenda até a revolução de 1933. Com a derrubada do governo de Gerardo Machado, foi revogada a Emenda Platt. Os EUA se negaram a reconhecer o novo governo revolucionário de Ramón Grau San Martin, conhecido como “Pentarquía”.

Em 1934, com apoio de Washington, Fulgencio Batista derrubou o governo de San Martin, e Carlos Mendieta foi o escalado para ocupar o cargo de presidente. Entre idas e vindas, San Martin voltou ao poder, mas a corrupção e dependência econômica da ilha aos EUA dificultava a estabilidade do governo. Em 1952, os EUA reconhecem oficialmente o regime militar de Fulgencio Batista (1952 a 1959).

Cuba para os cubanos

O início da Revolução Cubana ocorreu em 1959. Com forte apoio popular, Fidel Castro, do Partido Del Pueblo Cubano – Ortodoxos (PPC-O), junto a Raúl Castro, Camilo Cienfuegos e Ernesto Che Guevara, derrubou a ditadura de Fulgencio e declarou rompimento total com os Estados Unidos. É fundado o PCC, Partido Comunista de Cuba.

Guerra Fria, Cuba e o alinhamento soviético

Após uma tentativa frustrada de invasão na Baia dos Porcos, orquestrada por John Kennedy e a CIA, os Estados Unidos resolveram iniciar um bloqueio econômico na OEA – Organização dos Estados Americanos. Os países americanos não poderiam fazer negócios com Cuba.

A União Soviética enviava produtos industrializados, tecnologia e petróleo para Cuba, que, por sua vez, exportava toda a sua produção agrícola. Com esta troca, Cuba começou a se desenvolver, modernizar, e de país pobre agroexportador se transformou em uma grande potência social.

No momento mais tenso durante o período da Guerra Fria, ocorreu a “Crise dos Mísseis” (1962). Durante 14 dias, o mundo viveu sob a pressão de uma guerra nuclear. Turquia e Itália, aliadas aos EUA, sediavam mísseis estadunidenses em direção a URSS, e Cuba sediava mísseis soviéticos em direção aos Estados Unidos. Após um longo tempo de negociações entre Nikita Kruschev e John Kennedy, foi selado um acordo para a retirada dos mísseis.

Em 1996 foi aprovada pelo Congresso do EUA a Lei Helms-Burton, a fim de institucionalizar o bloqueio econômico feito em 1962. Bill Clinton foi o presidente vigente do período, sancionando a lei.

Após 60 anos no poder, morreu Fidel Castro, em 2016. Seu irmão, Raúl Castro assumiu a presidência de Cuba. Em 2018, o presidente eleito em Cuba foi Miguel Diaz-Canel, com o país apresentando uma economia focada no turismo, na agricultura, minério e na criação e produção de vacinas e serviços médicos. A Venezuela é seu parceiro comercial como fornecedora de petróleo. Porém, o maior parceiro comercial de Cuba é a China.

Fontes:

https://escola.britannica.com.br/artigo/aruaque/487806

https://operamundi.uol.com.br/opiniao/31849/50-verdades-sobre-a-ditadura-de-fulgencio-batista-em-cuba

https://www.exame.com/mundo/vacinas-crise-exportacoes-5-coisas-para-saber-sobre-cuba/amp/

https://economia.uol.com.br/noticias/efe/2021/03/12/presidente-de-cuba-classifica-lei-helms-burton-como-aberracao-ilegal.amp.htm

Arquivado em: América