Pecuária de Corte

A pecuária de corte nacional é uma das principais atividades de exploração econômica do país, caracterizava-se antigamente pelo atraso tecnológico, gestão familiar e principalmente a resistência ao uso das tecnologias da área.

Hoje o cenário diferencia-se um pouco, com uma nova imagem da propriedade rural, que em muitos casos já é administrada como uma empresa. Segundo Barcellos et al (2005), o uso de tecnologias que ajudaram a tecnificar a pecuária de corte, foram principalmente: A suplementação dos animais, utilização de misturas minerais, avanço na seleção das forrageiras, a utilização da seleção genética nas propriedades (principalmente pelo uso de touros selecionados) e o cruzamento das raças (permitindo uma diminuição do tempo do ciclo da atividade).

Raças de bovinos

Pecuária de corte. Foto: casadaphoto / Shutterstock.com

Pecuária de corte. Foto: casadaphoto / Shutterstock.com

Uma das principais decisões do pecuarista ao iniciar ou mudar a atividade de pecuária é quanto a escolha da raça que será criada, pode-se destacar algumas raças, porém a decisão deve ser tomada com bom senso. O pecuarista deve saber a realidade de sua propriedade e o nível de tecnologia que almejará empregar e assim escolher a raça a ser criada. Existem raças mais precoces e outras mais tardias, porém o nível de exigência delas varia, principalmente quanto ao clima e alimentação fornecida. Definimos como “aptidão” a finalidade para qual a raça é mais produtiva, então podemos ter raças de aptidão de corte, aptidão para leite e de dupla aptidão (servem tanto para a produção de corte como para produção de leite). Algumas raças indicadas para a produção de corte:

  • Nelore: responsável por 80% do rebanho nacional, o nelore apresenta excelente adaptação as regiões mais quentes do país (trata-se de uma raça de origem indiana) além de resistência a restrições alimentares;
  • Angus: raça de origem européia, produz carnes com excelentes características de maciez e sabor, trata-se de uma raça com terminação mais precoce quando comparado ao nelore, porém a exigência principalmente quanto a alimentação é maior;
  • Brahman: trata-se de um cruzamento criado nos Estados Unidos entre as principais raças zebuínas, é uma excelente raça para cruzamento industrial, pela origem é uma raça com boa adaptação ao nosso país;
  • Brangus: raça oriunda do cruzamento do Brahman X Angus, a principal característica da carne dessa raça é a excelente marmorização, muito utilizada nos confinamentos devido ao seu elevado ganho de peso e precocidade.

A pecuária de corte brasileira tem um fator bastante competitivo em relação ao cenário mundial: grande parte do rebanho nacional é criado exclusivamente à pasto, o que gera diminuição dos custos de produção da arroba de carne. Nota-se que passamos por um momento de mudanças, a propriedade já é tratada como uma empresa e administrada de forma menos familiar. Há muito a se evoluir, principalmente no que se refere a diminuição do ciclo de produção, algo q atualmente gira em torno de 4-5 anos, o emprego de tecnologias principalmente do melhoramento genético são alternativas que farão a pecuária brasileira ganhar cada vez mais o cenário mundial e alcançar níveis tecnificados.

Referências
http://www.abccriadores.com.br/pecuaria/pecorte.htm
http://www.fee.tche.br/sitefee/download/jornadas/2/e13-03.pdf