Arte Suméria

Por Ana Lucia Santana
Pesquisando a região da antiga Babilônia, estudiosos encontraram vestígios e inscrições que os levaram a concluir que uma civilização mais antiga que a própria egípcia tinha, no passado, se desenvolvido nesta área, o sul do Iraque, durante o terceiro milênio a.C. Os sumerianos foram responsáveis pela construção de um sistema de canais, bem como pela limpeza e cultivo da terra. Edificaram vários templos, dos quais restam hoje muitos tijolos, pórticos e colunas, localizados nas ruínas das cidades de Ur, Shirpula, Erech e outras. Este povo também criou a escrita mais primitiva da humanidade, a cuneiforme. Diversas obras de arte babilônicas são atribuídas por pesquisadores aos sumerianos. Sabe-se, concretamente, que eles inspiraram várias criações artísticas da Babilônia.

A arquitetura, que foi a base sobre a qual se assentou a assíria e a babilônica, fundamenta-se principalmente no templo-torre ou zigurate. Suas fachadas ornadas com colunas eram decoradas com lápis-lazúli, conchas e madrepérola. Eles também eram mestres na produção de jóias delicadas com ouro e prata, esculturas de cobre, cerâmica, gravuras e selos, além de trabalharem bem a pedra e a madeira. Sob o reino de Gudea, governante de Lagash, uma das cidades centrais da Suméria, a arte conheceu um de seus períodos mais ricos. Em Nipur, construíram uma grande torre ao seu deus principal El-lil - supõe-se que sua memória tenha sido preservada na lenda da Torre de Babel. Por permanecer livre da dominação de qualquer outro povo durante muito tempo, sua civilização e sua arte desenvolveram-se ao longo de uma vasta temporada - mais ou menos quatro vezes o espaço entre o começo da era cristão e os dias atuais.

O reino mais antigo foi fundado pelo sumo-sacerdote do deus da cidade de Erech. Aí surgiram também os primeiros templos conhecidos na história da humanidade. Nas escavações das ruínas encontradas na antiga região da Suméria, descobriram-se vários monumentos dessa época, em geral com inscrições cuneiformes no primitivo estilo arcaico – estátuas, estatuetas e pedras gravadas, testemunhando um elevado grau cultural.

Especialistas ocidentais costumam atribuir o aparecimento do primeiro mosaico a uma obra encontrada nesta região há 5.500 anos, na qual ele estaria representado – o Estandarte de Ur -, composto por peças elaboradas em arenito vermelho, lápis lazúli, mármore e conchas. A obra retrata alguns guerreiros em marcha e seu retorno com o botim, e o posterior banquete e acompanhamento musical. Possivelmente é a primeira imagem de uma ação bélica na história da humanidade. Referência para a história da arte, o mosaico é, no entanto, um caso isolado, porque esta obra não teve sucessora, nem formou uma escola artística.

Fontes:

http://web.archive.org/web/20090331110332/http://www.socultura.com:80/socultura-historia.htm, http://web.archive.org/web/20090428184738/http://mosaicocarioca.com:80/html/historiadaarte/historiadaarte.htm, http://www.castelodafantasia.vipsystem.net/2005/sumeria.html