Satélites Sputnik

O dia quatro de outubro de 1957 foi um marco para história mundial. Nesta data, a União Soviética colocou o satélite Sputnik em órbita. Este foi o primeiro satélite artificial lançando ao espaço e marcou a corrida espacial que era travada entre os soviéticos e os Estados Unidos.

Como outros projetos seriam lançados posteriormente, esse satélite ficou conhecido como Sputnik I. Apesar do pioneirismo dos russos, o Sputnik era bem simples. Sua finalidade era apenas transmitir um sinal de rádio que fazia um “beep” e podia ser escutado pelos aparelhos de radio amador no mundo todo.

Após vinte e dois dias de funcionamento, as baterias do transmissor acoplado no satélite se esgotaram, mas o Sputnik I conseguiu ficar na órbita terrestre por seis meses antes de cair. Apesar da simplicidade do projeto, o Sputnik I auxiliou estudiosos de astronomia na identificação das camadas da alta atmosfera da Terra.

Outro avanço importante que foi impulsionado pelo Sputnik I foi no estudo dos meteoritos. O satélite sofreu um impacto com um meteorito e passou por uma despressurização interna. Assim, ficou evidente que havia variação de temperatura na órbita da Terra. Essas variações foram percebidas no sinal que o transmissor emitia.

Após o sucesso do lançamento do satélite Sputnik I e as crescentes investidas espaciais dos Estados Unidos, a União Soviética continuou investindo em seu programa e lançou outros satélites nos anos seguintes.

Em novembro do ano de 1957, lançaram o Sputnik II. Este satélite ficou famoso por enviar ao espaço o primeiro ser vivo, a cadelinha Laika. Os dados da cachorra foram monitorados e, depois de algum tempo, os sinais vitais foram perdidos.

Existem várias versões para a morte de Laika. Naquela época, o governo soviético alegou falta de oxigênio, mas uma versão mais recente indica que o animal tenha morrido com o aquecimento da cabine, logo após o lançamento.

O projeto seguinte foi o Sputnik III, lançado em 1958. Este permaneceu em órbita por dois anos e se tratava de um laboratório com o objetivo de estudar o campo magnético terrestre e seu cinturão radioativo.

Dois anos depois surgia o Sputnik IV, que era um projeto para que a União Soviética conseguisse levar o primeiro homem ao espaço antes dos Estados Unidos. Porém, uma falha ocorreu nos retrofoguetes e o Sputnik IV acabou fracassando.

Enfim, surge o último satélite da série, o Sputnik V, lançado à órbita terrestre com as cachorras Strelka e Belka. Além dos caninos, foram enviados dois ratos, diversas plantas e quarenta camundongos. Um dia depois, a espaçonave retorna para a Terra, mas este animais tiveram sorte melhor que a de Laika e voltaram vivos.

Fontes:
http://ciencia.hsw.uol.com.br/sputnik2.htm
http://pt.wikipedia.org/wiki/Sputnik
http://noseahistoria.wordpress.com/tag/sputnik-i/
http://www.svengrahn.pp.se/histind/Sputnik2/sputnik2more.html