Vento Solar

Por Antonio Gasparetto Junior
O Vento Solar corresponde à emissão de partículas oriundas da coroa solar.

Ainda não é conhecido com exatidão o mecanismo pelo qual se forma o Vento Solar. Até o momento, sabe-se que o mesmo é constituído por um plasma composto de elétrons, prótons e sub-partículas como neutrinos. Esse plasma é composto por partículas carregadas de átomos ionizados com maior peso e que sofrem uma aceleração provocada pelas reações termonucleares do Sol, sendo então disparado em todas as direções com altas velocidades, atingindo aproximadamente 400 Km/s. Quando perto da Terra, as partículas podem chegar até 800 Km/s e possuir densidades em torno de 10 partículas por centímetro cúbico.

O Vento Solar está sujeito a variações que ocorrem na coroa solar, causadas pela própria rotação do Sol e por suas atividades magnéticas. O fenômeno torna-se ainda mais variável e instável por receber influência de gases ao redor do Sol e de planetas próximos ao mesmo. As explosões que ocorrem na superfície do Sol servem também para aumentar a emanação de radiação e a densidade de partículas carregadas, gerando tempestades magnéticas responsáveis pela deformação da magnetosfera e produção de fenômenos como as auroras polares.

Tais estudos são ainda muito recentes, mas crescem rapidamente em qualidade. As primeiras observações da magnetosfera terrestre aconteceram entre março de 2000 e dezembro de 2005, através do satélite Imager for Magnetopause to Aurora Global Exploration – IMAGE.

A evolução dos estudos já permitiu a identificação de alguns efeitos causados pelo Vento Solar. As caudas dos cometas possuem a orientação definida exatamente em decorrência do Vento Solar. Outro efeito registrado é a alteração nos campos magnéticos planetários, assim como a alteração na ionização da alta atmosfera terrestre, interferindo em seu comportamento. Além disso, o Vento Solar também interfere na propagação das ondas de rádio, tem efeito no rastro de vôo de veículos espaciais e pode influenciar diretamente no clima da Terra quando as erupções solares são muito violentas.