Faringite

Por Thais Pacievitch
A faringite, também é conhecida como dor de garganta, é a inflamação da faringe, local entre as amígdalas e a laringe onde este distúrbio se desenvolve causando dor, rouquidão e febre. A doença é causada pela ação de vírus e/ou bactérias, e pode ser indicador de um simples resfriado ou de doenças mais graves como a escarlatina ou mononucleose. No caso da infecção causada por vírus os mais encontrados são: rinovírus, adenovírus e coronavírus. Quando a infecção é causada por bactérias as mais encontradas são: o pneumococo beta-hemolítico, o estreptococo, o mycoplasma peneumoniae, o staphilococcus aureus e o haemophilus influenzae. O tabagismo, o consumo excessivo de álcool, o contato com vapores químicos ou o consumo de bebidas quentes também podem desencadear uma faringite.

O contágio acontece através secreções eliminadas por via oral como quando a pessoa infectada espirra, tosse ou fala, por isso, é comum o contágio entre pessoas que habitam o mesmo local e pessoas que trabalham no mesmo lugar.

Entre seus sintomas estão a simples dor de garganta ou dor na hora de engolir alimentos, febre, pus e vermelhidão na garganta, ulcerações na faringe ou nas amígdalas, náuseas, vômitos, dor de ouvido e gânglios da região do pescoço aumentados e doloridos.

O diagnóstico geralmente é feito através da observação da garganta e de perguntas que visam identificar os sintomas existentes. Quando existe a possibilidade da infecção ser causada por bactérias, o médico pode solicitar uma cultura pra identificar e combater a bactéria em questão com a utilização de antibióticos, os mais utilizados são as penicilinas, os macrolídeos e as cefalosporinas. Quando a faringite é causada por vírus, o médico apenas receita algum remédio anti-térmico e analgésicos, assim, a faringite sara num período de 5 até 7 dias. Durante este período é recomendável o uso de uma dieta líquida ou pastosa para não agredir a garganta.

A prevenção é feita com os seguintes procedimentos: evitar a excessiva ingestão de álcool, evitar o contato com pessoas com faringites, evitar lugares com muita fumaça de cigarros, não fumar, umidificar o ar se ele estiver muito seco, não compartilhar copos e/ou talheres, não permanecer em ambientes muito poluídos e evitar o contato do nariz ou da boca com bebedouros ou telefones públicos.

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.