Magnificação biológica

A magnificação biológica, magnificação trófica, ou ainda bioacumulação é um evento negativo originário de uma quantidade significativa de resíduos ou substâncias tóxicas acumuladas em um nível trófico da cadeia alimentar, com capacidade de atingir outros níveis tróficos da cadeia, prejudicando o equilíbrio dos organismos envolvidos, pois eles irão absorver essas substâncias futuramente.

Exemplo de bioacumulação: água contém 0,10 ppt (partes por trilhão de mercurio). Esta concentração pode chegar a 4,8 milhões ppt em um ovo de uma ave que se alimenta de peixes.

Exemplo de bioacumulação / magnificação biológica: água contém 0,10 ppt (partes por trilhão de mercurio). Esta concentração pode chegar a 4,8 milhões ppt em um ovo de uma ave que se alimenta de peixes.  Ilustração: USGS.gov

O excesso dessas substâncias representa uma ameaça direta para os organismos vegetais e animais presentes no ambiente. A forma indireta ocorre por meio da ingestão de alimentos contaminados. Na segunda situação o homem também é prejudicado.

De forma resumida, a bioacumulação é o aumento de concentrações de substâncias químicas em organismos biológicos ao longo do tempo.

Consideramos bioacumulação quando as células de um organismo começam a absorver matéria não natural do ambiente. Existem alguns fatores que podem aumentar o potencial químico das substâncias absorvidas. Substâncias lipofílicas e hidrofóbicas são exemplos, em ambos os casos a mistura com a água é prejudicada, o que diminui a capacidade de dispersão, porém mantém o alto nível de concentração da substância.

Geralmente as substâncias químicas apresentam fácil capacidade de dispersão na água, esse fator é determinante para o armazenamento de substâncias na própria água. Metais pesados podem ser considerados exceções.

O processo de eliminação dos organismos após sofrerem com a bioacumulação é variado. Alguns organismos podem excretar o produto absorvido, o modo com que seu metabolismo funciona e suas habilidades individuais que irão determinar o quanto serão capazes. Substâncias químicas que se dissolvem em gorduras geralmente são mais difíceis de serem eliminadas do que as que se dissolvem na água.

A bioacumulação acontece com maior frequência nos ecossistemas aquáticos. Existem alguns fatores importantes que contribuem para que esse evento aconteça com maior frequência no ambiente aquático:

  • As substâncias tóxicas envolvidas no processo de bioacumulação não são biodegradáveis, o que representa uma grande ameaça aos seres vivos, pois essas substâncias estarão percorrendo quilômetros de distância por muitos anos e afetando diversos organismos em diferentes níveis tróficos da cadeia.
  • Algumas substâncias tóxicas são lipossolúveis (podem ser dissolvidas em gorduras), podendo se fixar com facilidade em tecidos de organismos vivos.

Dos poluentes não biodegradáveis que se acumulam ao longo da cadeia, merecem destaque os metais pesados, como o mercúrio, o chumbo e o cádmio, elementos frequentemente presentes em processos industriais, no lixo eletrônico e garimpos irregulares (mercúrio). Também contribuem para a magnificação biológica os compostos organoclorados, como o DDT e o BHC (inseticidas), o cloreto de vinila, que são substâncias muito usadas na indústria, principalmente na produção de plásticos e insumos agrícolas, e os organofosforados, também utilizados na produção de pesticidas e são altamente tóxicos. O uso de muitas dessas substâncias como o DDT, já foi proibido por vários países, exatamente devido ao alto teor de toxidez.

Processo da bioacumulação ou magnificação biológica

O processo de bioacumulação não é totalmente natural, porém é um processo normal e essencial para controle, crescimento e cultivo de organismos. O processo de bioacumulação envolve também uma vasta gama de nutrientes que são vitais para a vida, entre eles a vitamina A, D e K, alguns minerais e aminoácidos e também gorduras.

Referências bibliográficas:

http://extoxnet.orst.edu/tibs/bioaccum.htm

http://www.io.usp.br/index.php/oceanos/textos/poluicao/69-portugues/publicacoes/series-divulgacao/poluicao/955-bioacumulacao-e-biomagnificacao

Arquivado em: Ecologia