Vermífugos

Graduação em Farmácia e Bioquímica (Uninove, 2010)

As parasitoses que mais afetam o homem são aquelas causadas por protozoários e helmintos, conhecidos como vermes. Desta forma, os vermífugos são medicamentos utilizados para combater esses parasitas, responsáveis por causar diversas doenças e até mesmo a morte de indivíduos.

Agentes anti-helmínticos

Os fármacos conhecidos como agentes anti-helmínticos são aqueles empregados no tratamento de doenças provocadas por helmintos, os famosos vermes.

Os helmintos são parasitas obrigatórios, que precisam de um hospedeiro para sobreviver e completar seu ciclo evolutivo. Esses fármacos atuam destruindo ou eliminando esses helmintos do hospedeiro.

A helmintíase tem prevalência mundial, algumas com característica assintomática, enquanto outras podem levar o hospedeiro a morte. Podem se desenvolver em humanos ou animais, tendo, portanto, sua importância também na medicina veterinária.

Os helmintos de interesse farmacológico compreendem dois filos: Nemathelminthes e classe Nematoda; Platyhelminthes, classes Cestoidea e Digenea (Trematoda).

Classificação

A maioria dos fármacos atuam em uma ou duas infestações parasitárias, podendo ser divididos em:

  • Ativos contra Nematódeos: temos como principais fármacos o tetracloroetileno, diclorofeno, piperazina, ditrazina, embonato de pirvívio, embonato de pirantel, tiabendazol, mebendazol, fembendazol, tetramisol.
  • Ativos contra Cestódeos: principais são cloridrato de mepacrina, niclosamida.
  • Ativos contra Trematódeos: hicantona, bitionol, oxamniquina, metrifonato, praziquantel.

Mecanismo de ação

Os anti-helmínticos pode atuar:

  • De forma direta, causando a paralisia ou morte do helminto e, consequentemente, a sua eliminação.
  • Irritando e queimando os tecidos do helminto.
  • Por ação mecânica, dificultando a permanência do verme no local, fazendo-o migrar e ser fagocitado pelas células imunológicas.
  • Interferindo no metabolismo do verme, inibindo enzimas que são vitais e levando-os a paralisia ou morte.

Agentes antiprotozoários

São aqueles usados no tratamento ou profilaxia de doenças causadas por protozoários.

Classificação

  • Agentes antiamebianos: a amebíase é uma doença parasitária, responsável por alta taxa de mortalidade em muitos países. Pode ser assintomática ou ainda desenvolver quadros de disenteria e diarreia, além de acometer outros tecidos como fígado, pulmão e sistema nervoso. No geral, os fármacos mais usados são furoato de diloxanida, metronidazol, etofamida, carbarsona e diiodoidroxiquinolina.
  • Agentes tripanomicidas: a tripanossomíase é causada pelo protozoário do gênero Trypanosoma. As espécies que mais afetam o home são T. rhodesiense, T. gambiense e T. cruzi. Os principais tripanomicidas são: suramina sódica, isetionato de pentamidina, nifurtimox e benznidazol.
  • Fármacos antileishmanióticos: a leishmaniose é provocada pelo parasita Leishmania, onde a L. donovani é a responsável pela leishmaniose visceral, a L. tropica está relacionada à leishmaniose cutânea e a L. braziliensis é a causadora da leishmaniose cutâneo-mucosa. Pode afetar tanto o homem como animais, onde o cachorro é o animal doméstico mais acometido pela doença. Os fármacos mais empregados são: estibogluconato sódico, antimoniato de meglumina, estibamina-ureia.
  • Agentes tricomonicidas: a tricomoníase é causada pelo Trichomonas, afetando o trato intestinal e geniturinário do homem e de certos animais. O medicamento mais utilizado é o metronidazol.
  • Outras infecções: na giardíase o agente ativo mais indicado é o metronidazol. Já na toxoplasmose, é utilizada uma associação de pirimetamina com sulfadiazina.

Mecanismo de ação geral

Agem diretamente, matando o parasita, ou de forma indireta, na flora intestinal, que é necessária para a vida desses agentes etiológicos.

Existem parasitas, contudo, que não são eliminados por vermífugos, quando estes são administrados por via oral. Caberá ao médico avaliar, através de exames específicos, a utilização do medicamento específico para cada doença.

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.
Arquivado em: Farmacologia