Amêndoas

Por Ana Lucia Santana
A amêndoa provém de um arbusto, a amendoeira, integrante da família das rosáceas. Esta árvore viceja nos climas temperados, predominante nos países mediterrâneos, em Portugal, Irã, Afeganistão e Austrália. Ela também se desenvolve em solo californiano, nos Estados Unidos, território que provê uma boa parcela do mercado planetário; logo depois deste país vem a Espanha.

Amendoeira
Amendoeira
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Rosales
Família: Rosaceae
Gênero: Prunus
Subgênero: Amygdalus
Espécie: P. dulcis

A amendoeira apresenta porte médio e minúsculas flores de cores rosadas e brancas. Os frutos por ela produzidos trazem em seu interior sementes que parecem pequenas pedras. A amêndoa propriamente dita é justamente esta semente; ela é revestida por uma delgada pele de coloração castanha, mas em seu interior é de cor creme, e é protegida por uma casca resistente.

Normalmente considerada como um fruto seco, a amêndoa é ingrediente indispensável na confecção de doces, bolos e tortas, especialmente na fabricação de bombons e chocolates. Ela também é comumente usada como item essencial na decoração gastronômica. Das sementes são retirados óleos e essências, portadores de faculdades medicinais, por esta razão a amêndoa é muito encontrada no ramo da estética.

Normalmente os mestres da gastronomia consideram este fruto, muito consumido no Natal, mais apetitoso que outras frutas, como as nozes, as avelãs e a macadâmia. Seu paladar é definido como algo mais ameno. Usa-se muito na culinária a farinha de amêndoas, principalmente nas tortas.

Ela tem um potencial energético apreciável, ou seja, 100 gramas de amêndoas detêm 589 calorias, um pouco menos que as nozes. Como estas frutas, a amêndoa possui vitamina E, ácido fólico e arginina, um aminoácido prescrito para o relaxamento dos vasos e o equilíbrio da pressão arterial.

Infelizmente, a amêndoa é um elemento meio elitizado, por seu preço não ser acessível para boa parte da população – o quilo desta fruta, já descascada, custa por volta de R$ 35. Desta forma, ela está mais presente na gastronomia sofisticada, não só como um prato conhecido como marzipã, mas também no consumo em seu formato natural.

As pessoas igualmente desfrutam desta fruta como aperitivo, com sal, torrada ou recoberta de açúcar. Nas amêndoas doces, ou Prunus amygdalu var. dulcis, mais comuns, a fração melhor aproveitada é a essência, enquanto as amargas, ou Prunus amygdalu var. amara, são utilizadas como aromatizantes.

As doces, encontradas no formato oval, são palatáveis, apresentam uma superfície flexível e um paladar semelhante ao da manteiga. Elas são encontradas com ou sem casca; estas podem ser adquiridas na forma integral, picadas ou em pedaços. As de natureza amara são aproveitadas como óleos ou como temperos.

As amêndoas contêm uma substância conhecida como gordura monoinsaturada, ideal para uma boa circulação sanguínea, a normalização do colesterol e a diminuição dos radicais livres, pois ela tem um alto potencial antioxidante.

Fontes:
http://www1.folha.uol.com.br/folha/comida/ult10005u414737.shtml
http://pt.wikipedia.org/wiki/Amendoeira
http://www.alimentacaosaudavel.org/amendoa.html