ALCA (Área de Livre Comércio das Américas)

Por Cristiana Gomes
Criado pelos Estados Unidos, a ALCA (Área de Livre Comércio das Américas) foi um acordo proposto aos países latino-americanos com o propósito de eliminar todas as barreiras comerciais e incentivar o livre comércio nas Américas melhorando a importação e a exportação de produtos. São ao todo 34 países (exceto Cuba, que não faz parte do acordo por causa do bloqueio econômico imposto pelos EUA). A ALCA está prevista para ser um grande bloco econômico juntamente com a NAFTA e o Mercosul.

Porém, existem alguns problemas. Alguns países temem a implantação desse acordo e muitos estudiosos acreditam que os EUA, controlariam a economia de toda a América Latina (seria uma espécie de dominação americana).

A ALCA, dizem os especialistas, “Beneficia poucos e prejudica muitos”, consiste em um pacote de propostas contra o povo latino-americano e suas conseqüências são fáceis de serem previstas: dependência econômica, política e tecnológica, invasão territorial e cultural. Isso sem contar o fato de que os países em desenvolvimento precisariam de altos investimentos para entrar em um mercado econômico tão grandioso como a ALCA.

As negociações começaram oficialmente em 1998 no Chile e daí para cá foram realizadas várias reuniões ministeriais a respeito do assunto.

Embora haja muita controvérsia, existem aqueles que acreditam que a formação de blocos econômicos ajudaria muito a economia e o desenvolvimento da infra-estrutura dos países, principalmente na nossa era globalizada.

Aqui no Brasil vários protestos, assembléias e até mesmo um referendo informal foram feitos contra esse acordo.

Quando o Brasil começou a defender seus próprios interesses, as negociações ficaram ameaçadas prejudicando o andamento do processo.