Antropoceno

Por Fernando Rebouças
Estaríamos vivendo numa nova época geológica moldada e dominada pelos atos da humanidade? Em 1873, a crescente influência das ações humanas no meio ambiente foi reconhecida em 1873, pelo geólogo italiano Antonio Stoppani (1824 – 1891), que considerou a ação humana como uma nova força telúrica similar às grandes forças da Terra.

Em 2002, o químico holandês, Paul Crutzen, vencedor do prêmio Nobel de 1995, sugeriu o termo “antropoceno” como uma fase que sucederia a época do Holoceno. Para entendermos melhor a visão sobre as épocas geológicas, devemos considerar a tese que afirma que o planeta Terra possui 4,57 bilhões de anos, divididos em tempos geológicos ordenados em fases de maior para menor ocorrência, são os éons, era, períodos e épocas geológicas. Vivemos no éon Fanerozoico, era Cenozoica, período Quaternário e época do Holoceno. O atual período Quaternário teria iniciado há 2,58 milhão de anos; e época do Heloceno após a última glaciação, há 11,7 mil anos.

Alguns pesquisadores acreditam que a época do Antropoceno iniciou a partir da Revolução Industrial, com a invenção da máquina a vapor, aperfeiçoada por James Watt, inventor escocês no século XVIII. Porém, outros estudiosos acreditam que essa nova época tenha iniciado a partir do uso das bombas atômicas na Segunda Guerra de 1945.

No ano de 2008, a Comissão Estratigráfica da Sociedade Geológica de Londres considerou a formalização da época do Antropoceno, no caso, iniciado no século XIX. Porém, tal formalização nos autos geológicos e científicos depende da IUGS, cuja sigla em inglês significa União Internacional de Ciência Geológicas. A partir de 2008, foi estabelecido uma comissão de estudos na Comissão Estratigráfica para tratar sobre o encerramento da época do Holoceno e a iniciação do Antropoceno.

Nesse caso, o Antropoceno seria considerada uma época geológica, que faria parte do período Quaternário ao lado do Holoceno e do Pleistoceno. Mas, o Antropoceno seria estabelecido como um “superinterglacial”, com duração superior ao interglaciais normais.

Os defensores do Antropoceno afirmam que a espécie humana já deixou profundas marcas no planeta Terra., principalmente, os cientistas australianos e britânicos. Popularmente, o Antropoceno poderá ser interpretado como a “Era do Homem” e auxiliaria no entendimento sobre as mudanças no planeta a partir das ações humanas, forçando-nos a repensar sobre nossos atos no planeta.

As principais consequências modernas dessas ações são, na atualidade: crescimento dos centros urbanos, mudanças globais na natureza e no ambiente; revolução industrial e cultural; modificação profunda nas paisagens, entre outras.

Fontes:
http://www.dw.de/dw/article/0,,15853834,00.html
Revista Ciência Hoje. Número 283. Vol. 48. Julho 2011.