Camada de ozônio

Para que a vida na Terra seja preservada dependemos de que inúmeros fatores estejam em equilíbrio. Um dos principais fatores que tem afetado o meio ambiente devido a sua degradação e que ocasiona o efeito estufa é a camada de ozônio. Porém devemos ressaltar que o fenômeno do efeito estufa é algo normal e inclusive benéfico para o planeta pois sem ele a temperatura na atmosfera da Terra seria em torno de 30 graus mais fria, o que é prejudicial é o agravamento e a acentuação deste efeito que acaba por aumentar demasiadamente a temperatura trazendo entre outras consequências o derretimento das calotas polares de gelo.

A camada de ozônio protege a Terra de raios ultravioleta provenientes do Sol. Ilustração: artiomp / Shutterstock.com

A camada de ozônio protege a Terra de raios ultravioleta provenientes do Sol. Ilustração: artiomp / Shutterstock.com

Esta camada serve para proteger a Terra da incidência direta dos raios solares, evitando superaquecimento, entre outros problemas. Ela é composta, como seu próprio nome já diz pelo gás ozônio de fórmula molecular O3 e sem ela a vida na Terra, segundo estudos, seria impossível. Na superfície da Terra, o gás ozônio contribui para aumentar e agravar a poluição das cidades e também a chuva ácida. Porém, nas alturas em torno de 30 km acima da superfície (na estratosfera) ele é um filtro em prol da vida na Terra.

Em diversas situações, seja na mídia ou na escola por exemplo ouvimos a respeito do buraco na camada de ozônio e que nas últimas décadas ele vem aumentando e consequentemente seus efeitos também. Este “buraco” é ocasionado pelos gases poluentes que agridem esta camada e os principais gases são os gases fréon ou clorofluorcarbonetos (CFC’s). Estes gases poluentes são geralmente utilizados como propelentes em aerossóis e como isolantes em equipamentos de refrigeração e quando liberados no ar levam em torno de 8 anos para atingir a camada de ozônio e ao chegarem são atingidos pelos raios solares e liberam moléculas de cloro que acabam por transformar o principal constituinte da camada, o ozônio, em oxigênio.

Nos seres humanos o principal efeito a saúde devido ao excesso de radiação ultravioleta incidente é o câncer de pele que ultimamente vem crescendo bastante. A forma de evitar esse problema é utilizando protetor solar sempre e evitando se expor ao sol em horários em que sua radiação se encontra mais forte. Segundo declaração da ONU a cada 1% de camada de ozônio que perdemos surgem 50 mil novos casos de câncer de pele e 100 mil novos casos inclusive de cegueira ocasionada pela catarata.

Diversos acordos vêm sendo feitos principalmente entre os países que são os líderes em emissão de gases poluentes, mas a verdade é que estamos longe de que as questões ambientais sejam realmente resolvidas. Porém, outros gases poluentes são responsáveis por essa destruição (em menor escala) como por exemplo, o gás carbônico (CO2) e os óxidos liberados pelos automóveis. Você pode contribuir para essa diminuição andando de bicicleta ou a pé por exemplo, quando possível, que tal?

Referência:
http://www.wwf.org.br/natureza_brasileira/questoes_ambientais/camada_ozonio/