Países mais Pobres do Mundo

Por Fernando Rebouças
Um país que apresenta baixo índice de desenvolvimento humano, industrialização tardia ou inexistente, baixa produtividade agrícola, disparidades sociais, fome e endividamento é um grande candidato a fazer parte do grupo dos países mais pobres do mundo.  Segundo o consenso mundial, para um determinado país superar o seu grau de pobreza, torna-se necessário diversificar a sua economia e desenvolver soluções para as suas questões sociais.

A maioria dos países pobres possui uma produção centralizada e dependente de um produto ou matéria-prima predominante para o mercado interno e para a exportação. Os países menos avançados (PMA) têm recebido créditos e incentivos das Nações Unidas e de países desenvolvidos para ampliarem suas bases econômicas.

Esses esforços estão direcionados a ajudar  cada país pobre economicamente a conseguir construir uma futuro melhor por meio da diversificação de suas produções agrícolas e industriais, dependendo menos de matérias-primas tradicionais.

Somente a diversificação econômica permitirá a essas nações possuir uma estrutura que os protejam de possíveis crises externar no cenário econômico mundial, e nas áreas energéticas e de produção de alimentos. Ressaltando também, melhor possibilidade de sobrevivência e reconstrução perante desastres naturais.

Projetos de recuperação econômica das nações pobres têm sido desenvolvidos em parceria com a ONU, por meio do Conselho de Comércio e Desenvolvimento da CNUCED – Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento – entidade que realiza reuniões periódicas para estas finalidades.

As reuniões do CNUCED sempre focalizam na transformação estrutural dos países menos avançados (PMA) e prepara as bases de discussões para as conferências. A categoria dos países menos avançados (PMA) foi criada em 1971, nos últimos quarentas anos, o número de países pertencentes à esta categoria dobrou, chegando ao número de 49 nações integrantes.

Anualmente, a ONU publica o IPH ( Índice de Pobreza Humana ) que , ultimamente, considera o número de morte de recém nascidos, percentagem de adolescentes com escolaridade básica, crianças abaixo do peso e a renda familiar. A maioria dos países com os piores índices são do continente africano, destacando-se apenas três países não africanos: Timor Leste, Bangladesh e Papua Nova Guiné.

Índice de Pobreza – 2008 :

  1. Chade - 56.9%
  2. Mali - 56.4%
  3. Burkina Fasso - 55.8%
  4. Etiópia - 54.9%
  5. Níger - 54.7%
  6. Guiné - 52.3%
  7. Serra Leoa - 51.7%
  8. Moçambique - 50.6%
  9. Benin - 47.6%
  10. Guiné-Bissau - 44.8%
  11. Central Africano República - 43.6%
  12. Senegal - 42.9%
  13. Timor-Leste - 41.8%
  14. Zâmbia - 41.8%
  15. Gâmbia - 40.9%
  16. Bangladesh - 40.5%
  17. Papua Nova Guiné - 40.3%
  18. Zimbábue - 40.3%
  19. Angola - 40.3%
  20. Costa do Marfim - 40.3%

Fontes:
http://www.unric.org/pt/actualidade/27444-os-paises-mais-pobres-do-mundo-tem-de-diversificar-as-suas-economias-para-vencer-a-pobreza