Escassez de água potável

A escassez de água potável, resultante da combinação da variabilidade hidrológica e do uso humano, é um fator preocupante para a sociedade atual. Para se ter uma ideia, 70% da Terra é feita de água e 70% do corpo humano é água. Em outras palavras, há uma abundância de água no planeta, mas também, uma grande dependência dos seres vivos. Por outro lado, de toda esta água, 97% dela é salgada, 1,75% está congelada em glaciares e 1,24% é água subterrânea, nem sempre apropriada para o consumo. O que resta é água potável, disponível para os seres vivos, mas também para outras atividades como agricultura e indústrias.

Pelo mundo, 29 países já estão com problemas de falta d’água. Nações do Oriente Médio, do norte e do sul da África, além de China e Índia têm dificuldades para acessar água potável. Mais de 1,8 bilhão de pessoas não têm acesso a uma quantidade mínima segura para o uso humano. Em áreas rurais, o número é ainda pior: oito em cada dez pessoas que vivem no campo não têm acesso à água potável. Estima-se que, até 2050, 4,8 bilhões de pessoas estarão em situação de estresse hídrico, ou seja, com dificuldade de acesso à água potável e ao saneamento básico.

Atualmente, 2,6 bilhões não têm acesso à saneamento básico. Isso significa que muitos são obrigados a consumir água contaminada ou imprópria para o corpo. Os que mais sofrem com isso são as crianças. Por ano, 1,5 milhão de crianças com até cinco anos morrem em decorrência da ingestão de água não potável, que deixa o organismo muito suscetível ao desenvolvimento de doenças.

É importante lembrar que a distribuição da água pelo mundo é desigual, seja pelos diferentes níveis de pluviosidade ou pelo próprio acesso à água potável. A Ásia possui 60% da população do planeta, mas apenas 36% da água doce. No caso da China, em específico, 20% da população mundial está concentrada no país, entretanto, somente 7% de recursos hídricos estão sob território chinês. Toda esta carência de água compromete não só a população, mas também, a produção de alimentos e a preservação da biosfera.

O Brasil possui o melhor cenário de água potável do mundo. 12% da água doce superficial está disponível no país, a maior parte na Amazônia, graças ao rio Amazonas. Cerca de 70% da reserva brasileira de água está concentrada na região norte, onde vivem apenas 10% da população. Por outro lado, nas regiões de maior adensamento populacional, o volume de água disponível para uso cai abruptamente que, além de ser distribuído entre a população, também se direciona à atividade industrial.

É importante deixar claro que as grandes reservas hídricas brasileiras não são sinônimo de uma boa infraestrutura. O país sofre com o acesso limitado da população à rede de água e esgoto. Mais de 35 milhões de brasileiros não recebe água tratada e menos da metade da população (48,6%) tem acesso à coleta de esgoto. Apenas para a irrigação agrária são consumidos 75% da vazão de água disponível no país. O abastecimento humano utiliza 10% de toda água distribuída no Brasil. 9% se destina aos animais e 6% à indústria.

Em 2014, a maior metrópole brasileira sofreu com a queda acentuada dos níveis de água para o abastecimento da população. A falta de chuvas diminuiu drasticamente o nível dos reservatórios do Sistema Cantareira, afetando o fornecimento de água para as nove milhões de pessoas por ele atendidas na Região Metropolitana de São Paulo. A estiagem foi a pior dos últimos cem anos e afetou também as bacias dos rios Paraíba do Sul e São Francisco.

Referências bibliográficas:

ADEODATO, S. Poluição e desperdício reduzem a água disponível no Brasil. Disponível em: <http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/ambiente/conteudo_345578.shtml>. Acesso em: 30 de agosto de 2016.

AGÊNCIA Nacional de Águas. Conjuntura dos Recursos Hídricos: informe 2015. Disponível em: <http://www3.snirh.gov.br/portal/snirh/centrais-de-conteudos/conjuntura-dos-recursos-hidricos/conjuntura_informe_2015.pdf>. Acesso em: 30 de agosto de 2016.

ÁGUA e Emprego: Fatos e números. Disponível em: <http://unesdoc.unesco.org/images/0024/002440/244041por.pdf>. Acesso em: 30 de agosto de 2016.

BRANCO, P. M. Coisas que você deve saber sobre a água. Disponível em: <http://www.cprm.gov.br/publique/Redes-Institucionais/Rede-de-Bibliotecas---Rede-Ametista/Canal-Escola/Coisas-Que-Voce-Deve-Saber-Sobre-a-Agua-1084.html>. Acesso em: 30 de agosto de 2016.

CASTRO, C. F. A.; SCARIOT, A. Escassez de Água, uma Crise Silenciosa. Disponível em: <http://www.pnud.org.br/noticia.aspx?id=3509>. Acesso em: 30 de agosto de 2016.

FERREIRA, R. O que é estresse hídrico. Disponível em: <http://www.oeco.org.br/dicionario-ambiental/27678-o-que-e-estresse-hidrico/>. Acesso em: 30 de agosto de 2016.

O MUNDO com sede. Disponível em: <http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/desenvolvimento/conteudo_261013.shtml?func=2>. Acesso em: 30 de agosto de 2016.

TRATA Brasil. Disponível em: <http://www.tratabrasil.org.br/>. Acesso em: 30 de agosto de 2016.

Arquivado em: Hidrografia