Recursos hídricos

Mestre em Ecologia (UERJ, 2016)
Graduada em Ciências Biológicas (UFF, 2013)

A água é considerada um recurso renovável devido à sua capacidade de se recompor em quantidade, principalmente pelas chuvas, e por sua capacidade de absorver poluentes. Porém, é um recurso limitado pelo uso no diz respeito a sua quantidade disponível e a sua qualidade. Uma análise completa de uma água natural indicaria a presença de mais de cinquenta constituintes nela dissolvidos ou em suspensão. Esses elementos, em geral, são sólidos dissolvidos ionizados, gases, compostos orgânicos, matéria em suspensão, incluindo microrganismos e material coloidal. Durante o ciclo hidrológico, a água sofre alterações em sua qualidade. Os recursos hídricos têm capacidade de diluir e assimilar esgotos e resíduos, mediante processos físicos, químicos e biológicos, que proporcionam a sua autodepuração. Entretanto, essa capacidade é limitada em face da quantidade e qualidade de recursos hídricos existentes.

O ciclo hidrológico no planeta tem os seguintes componentes que são integrados:

  • águas superficiais
  • águas subterrâneas
  • águas atmosféricas

O permanente movimento entre esses componentes é uma característica fundamental do ciclo da água e uma consequência de suas propriedades e de seus estados sólido, líquido e gasoso. Os usos múltiplos de recursos hídricos dependem de águas superficiais e subterrâneas. Estes recursos podem ser utilizados na geração de energia elétrica, abastecimento doméstico e industrial, irrigação de culturas agrícolas, navegação, recreação, aquicultura, piscicultura, pesca e também para assimilação e afastamento de esgotos. As características do ciclo hidrológico não são homogêneas e isto determina a distribuição desigual da água no planeta.

Fonte de água subterrânea. Foto: severija / Shutterstock.com

A água é um recurso natural que ocupa aproximadamente 70% da superfície da Terra. No entanto, 97% desta água é salgada e, portanto, imprópria para o consumo. Os 3% restantes de água do planeta é doce, das quais 2,5% estão presas em geleiras nas calotas polares. Dos 0,5% de água restante no mundo, a maior parte está presa em aquíferos subterrâneos, dificultando o acesso humano. O suprimento de água doce de boa qualidade é essencial para o desenvolvimento econômico, para a qualidade de vida das populações humanas e para a sustentabilidade dos ciclos no planeta.

O Brasil possui aproximadamente 12% das águas doces disponíveis em todo o planeta Terra. Esses recursos estão distribuídos de forma irregular no território brasileiro e estão sob a influência de uma grande variedade de processos climatológicos que regulam a distribuição e a disponibilidade da água. A distribuição dos recursos hídricos subterrâneos no Brasil não é uniforme, tendo regiões com grande disponibilidade, como o aquífero Guarani no Sul do Brasil, e regiões com baixa disponibilidade, como os aquíferos das rochas cristalinas no Nordeste. Os aquíferos sedimentares ocupam 48% do território brasileiro. Apesar do difícil acesso estas áreas de aquífero representam uma reserva relevante de água. Apesar de o Brasil possuir grande oferta de água em termos globais, existe uma distribuição desigual dos recursos hídricos como a grande disponibilidade hídrica encontrada na Amazônia e a escassez de água na região Nordeste do Brasil.

A água é essencial à vida e constitui elemento necessário para quase todas as atividades humanas, além de ser um importante componente da paisagem e do meio ambiente. Deve ser vista e tratada como um bem precioso, pois tem valor inestimável e deve ser a qualquer custo, conservado e protegido.

Referências Bibliográficas:

SETTI, Arnaldo A.; LIMA, Jorge E. F. W.; CHAVES, Adriana G. de M.; PEREIRA, Isabella de C. Recursos Hídricos. In: Introdução ao Gerenciamento de Recursos Hídricos. 2ª ed. Brasília: Agência Nacional de Energia Elétrica, Superintendência de Estudos e Informações Hidrológicas, 2000. 30-31 p.

TUNDISI, José G. Recursos Hídricos no Brasil: uma síntese. In: Recursos hídricos no Brasil: problemas, desafios e estratégias para o futuro. José Galizia Tundisi (coordenador). Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Ciências, 2014. 4-7 p.

TUNDISI, José G. 2003. Recursos Hídricos. Multiciência: Revista Interdisciplinar dos Centros e Núcleos da Unicamp 1: 15 p.

Arquivado em: Hidrografia, Meio Ambiente