Adensamento

Normalmente um predador precisa competir com outro predador por sua presa, e isso ocorre com mais freqüência onde a população é muito densa ou a quantidade de alimento é baixa. Com isso, há uma redução na taxa de consumo individual.

Processos conhecidos como interferência mútua podem afetar a taxa de consumo mesmo quando o alimento não é limitado, mas há aumento na densidade de predadores. Isso pode ocorrer, por exemplo, quando o predador diminui seu tempo de busca interagindo com outros membros de sua população, como brigas por alimento.

Esse aumento na densidade e conseqüente diminuição da alimentação têm efeito negativo sobre a fecundidade e crescimento de predadores. Logo podemos concluir que a densidade pode regular a população de predadores.

As presas também são susceptíveis ao processo de adensamento, uma vez que sua alimentação também é prejudicada. Os efeitos são os mesmos para presas e predadores: redução na taxa de natalidade, crescimento e sobrevivência.

Com isso os ciclos predador-presa tendem a ter uma redução ou amortecimento, impedindo que a abundância, tanto de predadores quanto de presas alcance níveis muito altos, podendo até removê-los.

A abundância alta de presas em um ciclo gera um aumento de abundância de predadores, e no próximo ciclo há uma diminuição na abundância de presas.

Essa interferência na atividade entre indivíduos também ocorre com os parasitas, quando há competição intra-específica e as taxas de natalidade, crescimento e mortalidade são dependentes.

Quando se aumenta a população de um determinado parasita, pode-se observar uma queda na taxa de natalidade de seus descendentes, pois há uma grande competição por alimento entre as larvas, principal fator que interfere, muito mais do que a competição por alimento entre os adultos.

Arquivado em: Ecologia