Tecido Hematopoiético

Por Mayara Lopes Cardoso
O tecido hematopoiético (do grego hematos, sangue, e poese, formação, origem) é um tipo de tecido conjuntivo responsável pela produção de células sanguíneas e da linfa, e se localiza no interior de alguns tipos de ossos. Esse tecido é o precursor da medula óssea vermelha.

Durante a infância, grande parte dos ossos do corpo possui esse tipo de medula; na fase adulta, a medula vermelha é encontrada principalmente nos ossos pélvicos, no osso esterno, nas costelas e na clavícula. Na fase embrionária, as células sanguíneas são formadas no baço e no fígado.

A medula óssea é dotada de fibras reticulares e células- tronco medulares. Tais células são multipotentes (ou pluripotentes), ou seja, podem dar origem aos diversos tipos de células sanguíneas, e são descendentes das células-tronco embrionárias. As células-tronco embrionárias são totipotentes, ou seja, não só dão origem às células sanguíneas, como a qualquer outro tipo de célula do organismo.

A multiplicação das células-tronco produz tanto células-filhas que se comportam como células multipotentes, quanto células que se diferenciam em vários tipos de células do sangue. Numa primeira fase dessa diferenciação, as células-tronco dão origem a duas linhagens celulares: células-tronco mieloides, e células-tronco linfoides. As células-tronco mieloides originam as hemácias (glóbulos vermelhos ou eritrócitos), as plaquetas (ou trombócitos) e os leucócitos (glóbulos brancos), tais como neutrófilos, basófilos, eosinófilos e monócitos. Já as células-tronco linfoides dão origem aos linfócitos B e T.

Em mamíferos, os linfócitos B passam pela diferenciação na própria medula óssea. No caso dos linfócitos T, suas células precursoras se deslocam da medula óssea para o timo, local onde a diferenciação é concluída. O timo é um órgão que se localiza no osso esterno, dotado de tecidos linfóides.

O sangue humano é composto por: plasma, hemácias, leucócitos e plaquetas. O plasma é uma solução aquosa de substâncias como proteínas, hormônios, gases, nutrientes, sais e excreções, e sua função é transportar tais substâncias por todo o corpo, o que possibilita às células receber o nutriente necessário ao metabolismo e expulsar metabólitos tóxicos.

As hemácias são as células mais abundantes no sangue, são anucleadas (seu núcleo é perdido durante a diferenciação celular), bicôncavas e providas de moléculas de hemoglobina, proteína que confere cor vermelha ao sangue. As hemácias são produzidas na medula óssea vermelha, a partir dos eritroblastos, células originadas pela diferenciação de células tronco mieloides e sua produção é ditada pela ação do hormônio eritropoetina, secretado pelos rins. As hemácias são responsáveis pelas trocas gasosas no organismo.

Os leucócitos são células esféricas e nucleadas, de tamanho maior do que as hemácias. A principal função dos leucócitos é proteger do corpo contra infecções por microrganismo ou outros corpos estranhos (partículas, toxinas, etc.) que adentrem nos tecidos. Cada tipo de leucócito tem um papel específico no combate a infecções.

As plaquetas são fragmentos citoplasmáticos que se originam na medula óssea vermelha a partir dos megacariócitos, os quais são provenientes das células tronco mieloides. As plaquetas desempenham um papel fundamental na coagulação sanguínea.

Leia mais:

Referências
AMABIS, José Mariano, MARTHO, Gilberto Rodrigues. Biologia das células. São Paulo: Moderna, 2004
Foto: http://nctc.fws.gov/EC/fish/fi/0000000b.htm