POLOP

Mestrado em História (UFJF, 2013)
Graduação em História (UFJF, 2010)

A POLOP foi uma organização de esquerda radical no Brasil. A Juventude Socialista do Partido Socialista Brasileiro formou, em 1961, a Organização Revolucionária Marxista – Política Operária (ORM-Polop), que foi fruto da fusão com os estudantes da Mocidade Trabalhista, do estado de Minas Gerais, e da Liga Socialista, do estado de São Paulo. Além desses, o movimento contava também com simpatizantes de Rosa Luxemburgo, trotskistas e dissidentes do Partido Comunista Brasileiros nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais. Entre os fundadores do movimento de esquerda estavam alguns intelectuais da época.

A POLOP representava uma ala radical do movimento de esquerda no Brasil que era contrária, inclusive, aos preceitos do Partido Comunista Brasileiro. Formou-se no cenário conturbado da política brasileira no início dos anos 1960 e avançou pela Ditadura Militar como significativo movimento de resistência. Logo depois da derrubada do presidente João Goulart, a POLOP tentou articular uma guerrilha contra os militares no Vale do Rio Doce, mas não saiu da fase de planejamento. O projeto, contudo, foi o embrião da Guerrilha do Caparaó que foi liderada pelo Movimento Nacionalista Revolucionário (MNR).

A POLOP, por sua vez, também não era um movimento coeso e existiam ainda alas radicais de esquerda dentro da própria organização radical de esquerda. Da Organização Revolucionária Marxista – Política Operária ainda surgiram várias outras organizações socialistas como fruto de cisões internas. Entre as mais significativas estão o Comando de Libertação Nacional (Colina), a Vanguarda Popular Revolucionária (VPR), o Partido Operário Comunista (POC), a Vanguarda Armada Revolucionária Palmares (VAR-Palmares) e o Movimento de Emancipação do Proletariado (MEP). Todas essas novas organizações foram fruto de movimentações internas que uniram grupos dissidentes ou alas de ideologias diferenciadas dentro do grande e embrionário movimento que foi a POLOP.

Naturalmente, o regime militar caçou ferozmente os militantes da POLOP e de todas as organizações de esquerda que se formaram a partir dela. Esses indivíduos viveram na ilegalidade. Muitos deles foram presos, torturados e mortos pela Ditadura Militar, sendo que não há notícias, ainda hoje, do que aconteceu com alguns militantes. São os famosos casos de presos políticos brasileiros que foram reprimidos e eliminados, porém os responsáveis pela censura não foram julgados no país. Os militantes que tiveram maior sorte conseguiram o exílio em países da América Latina e da Europa e sobreviveram ao governo dos militares.

A POLOP foi uma organização militante de esquerda de grande importância para a história contemporânea do Brasil. Foi responsável pela manifestação dos interesses da classe trabalhadora no país no início da década de 1960 e uma importante fonte de resistência ao regime dos militares, dando origem a diversas outras organizações de contestação durante a Ditadura Militar.

Arquivado em: Ditadura Militar