Imperador Constantino

Por Felipe Araújo
Após a morte de seu pai, Constâncio Cloro, Constantino torna-se imperador em Roma no ano de 306 d.C. Na época em que assumiu o Estado, Roma passava por um período turbulento. O império estava em sua pior época, com indícios de rompimento de algumas cidades italianas com Roma.

Nomeado imperador, Constantino liderou uma série de batalhas e guerras que o fizeram o governador supremo do Império Romano. Além de seu papel em atividades bélicas, teve sua importância ligada ao início do desenvolvimento do Cristianismo. No ano de 323 d.C., período em que era imperador, a religião cristã passa a ser aceita e estimulada em Roma.

Antes de Constantino, o cristianismo era apenas tolerado pelos romanos. Porém, foi expandindo-se com o passar do tempo, até que começou a se tornar uma ameaça. Desta forma, os imperadores romanos começaram a perseguir os seguidores da religião. Os cristãos eram jogados na arena com os Leões para divertimento do povo de Roma.

Esta situação começa a ser alterada após a vitória de Constantino na Batalha de Ponte Mílvia, confronto o Imperador e Magêncio. Após este episódio, o imperador Constantino professa o cristianismo em Roma. Isso ocorreu, pois, durante o embate, Constantino sonhou com uma cruz que tinha a seguinte frase: "Sob este símbolo, vencerás". Desta forma, a vitória na batalha foi atribuída ao Deus Cristão. Porém, alguns historiadores explicam que isso ocorreu por influência familiar.

Constantino convocou bispos cristãos na cidade de Nicéia da Bitínia no ano de 325 d.C. Essa reunião ficou conhecida como Concílio de Nicéia, que teve como resultado o estabelecimento da questão teológica entre Deus (Pai) e Jesus (Filho), a fixação de datas como a Páscoa e promulgação da lei canônica.

Apesar da legalização do cristianismo em Roma, a religião não se tornou oficial no Estado, dando continuidade a existência do paganismo, que não havia sido proibido. Existem diversas dúvidas sobre a cristandade de Constantino. Embora sua importância no desenvolvimento da religião tenha sido grande, ele não abandonou sua adoração ao Deus Sol. Em seu período como imperador romano, as moedas mantinham a gravura do Sol como símbolo principal.

Fontes:
YENNE, Bill. Cem Homens Que Mudaram a História do Mundo, São Paulo, Ediouro, 2004.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Constantino_I