Prisão de Guantánamo

Por Antonio Gasparetto Junior
A Prisão de Guantánamo é um complexo penitenciário estadunidense que está localizado na ilha de Cuba.

Ainda no começo do século XX, em 1903, os Estados Unidos assinaram um contrato de arrendamento perpétuo de uma porção de terra em Cuba. No acordo, ficou-se estabelecido um território com 116Km² de área envolvendo terra e água na baía de Guantánamo. Naquele momento, a justificativa se dava pelo interesse na mineração e em operações navais.

Não tardou para que a região arrendada pelos Estados Unidos no território cubano se tornasse uma prisão militar. Isso aconteceu especialmente pela maneira como os estadunidenses entraram na Segunda Guerra Mundial. O Japão organizou um ataque surpresa à uma base militar dos Estados Unidos em Pear Harbor, matando milhares de soldados estadunidenses e destruindo considerável parcela dos equipamentos militares dos mesmos. A resposta se deu com a entrada dos Estados Unidos na guerra e, entre outras coisas, a prisão de estadunidenses de origem japonesa no referido território cubano.

A Prisão de Guantánamo começava então a construir sua história como uma prisão militar. Como tal, dotada de sua rigidez e também dos interesses ideológicos que marcaram profundamente o século XX, passou a conviver diariamente com práticas de tortura. Durante a Guerra Fria, o conflito ideológico que colocou em embate os seguidores do capitalismo e os seguidores do socialismo no mundo, os Estados Unidos enviaram vários prisioneiros de diversos confrontos militares para a Prisão de Guantánamo. Como alguns indivíduos presos durante a Guerra do Vietnã, por exemplo.

As atividades da Prisão de Guantánamo se estenderam também pelo século XXI com muita intensidade. Logo no começo do novo milênio, os Estados Unidos sofreram um ataque terrorista, em 2001, que destruiu um de seus principais símbolos e matou milhares de pessoas. A ação resultou em uma reação estadunidense de invasão do território do Afeganistão em busca dos responsáveis pelo ato. Já no ano seguinte, um primeiro grupo composto por 20 combatentes do Afeganistão foi levado para a Prisão de Guantánamo, sendo que todos foram impedidos de direitos por serem considerados terroristas.

A Prisão de Guantánamo ganhou grande repercussão internacional por causa das atrocidades cometidas em seu interior. A prisão militar composta por três campos de detenção foi local de torturas durante muito tempo. Várias reportagens denunciaram o abuso da força e o tratamento desumano que os soldados estadunidenses utilizaram contra os prisioneiros tanto em Guantánamo quanto em Abu Ghraib. O fato é que além de prisioneiros que supostamente seriam terroristas, a Prisão de Guantánamo abrigou também detentos de forma clandestina e que não tinham razão justificável para estarem detidos.

Com a pressão internacional, aos poucos o presidente dos Estados Unidos George W. Bush foi reconhecendo as práticas ilegais na Prisão de Guantánamo e tomando medidas para restringi-las. Muitos dos detentos que foram para Guantánamo eram imigrantes ilegais nos Estados Unidos que aguardavam a deportação.

A eleição do presidente Barack Obama apontou um novo futuro para a Prisão de Guantánamo. Inicialmente, ele prometeu fechar ou reestruturar o complexo penitenciário. Depois, acabou com as comissões militares criadas pelo governo anterior e assinou um decreto para dar fim às atividades na Prisão de Guantánamo.

Fontes:
http://www.natgeo.com.br/especiais/missao-guantanamo/cronologia.asp
http://noticias.uol.com.br/ultnot/afp/2009/01/22/ult34u217542.jhtm
Foto: http://www.globalsecurity.org/military/facility/guantanamo-bay.htm