Menopausa

Por Thais Pacievitch
Menopausa é a fase biológica da vida das mulheres, que geralmente ocorre a partir dos 40 anos, marcada pelo fim da menstruação. Ocorre quando os ovários diminuem a produção dos hormônios estrogênio e progesterona.

O estrogênio é o hormônio responsável pelo ciclo da ovulação, e interfere em aspectos físicos e emocionais das mulheres durante toda a adolescência e fase adulta. O progesterona é o hormônio responsável pelo revestimento do útero, para aguardar o óvulo possivelmente fecundado. Quando não ocorre a fecundação, é esse hormônio o responsável pela eliminação desse revestimento não utilizado, através da menstruação.

A diminuição na produção desses hormônios acontece de forma gradativa. A princípio, o ciclo menstrual fica irregular, cessando aos poucos. Esse processo de diminuição da produção dos hormônios, que culmina no fim da menstruação é chamado de climatério.

A menopausa só é considerada como tal após um ano de ausência total de menstruação. Após esse período, a progesterona é praticamente ausente no corpo da mulher, e a produção de estrogênio cai significativamente, porém permanece.

Os sintomas de que a menopausa está próxima são:

- Ondas de calor
- Suor noturno
- Irritação
- Falta de lubrificação vaginal
- Perda da libido
- Dor durante as relações sexuais
- Falta de sono
- Dores de cabeça
- Fadiga
- Vertigem
- Palpitações
- Ansiedade
- Depressão

A queda na produção de hormônio pode diminuir a imunidade do organismo, o que aumenta a probabilidade de doenças. Hábitos saudáveis, sobretudo quanto à alimentação e a atividade física, diminuem essa possibilidade, pois favorecem o equilíbrio corporal.

Alguns dos sintomas citados podem permanecer mesmo após o fim do climatério e o ínicio da menopausa propriamente dita.

Os sintomas, tanto no período do climatério quanto na menopausa, podem ser amenizados através da reposição hormonal. Esse “tratamento” é feito através da administração de doses de estrogênio, progesterona ou progestina (sintético). Os níveis desses hormônios não atingem os mesmos níveis anteriores à menopausa. Os benefícios da reposição hormonal estão no fato do tratamento reduzir a possibilidade da mulher apresentar: perda de memória, osteoporose, depressão e Alzheimer. Pode favorecer a vida sexual.

A reposição hormonal é motivo de discussão entre pesquisadores da área, pois, apesar dos benefícios citados, aumenta o risco de incidência de algumas doenças como câncer de mama e de cólon, demência, entre outras.
Tratamentos alternativos como os fitoterápicos e a acupuntura podem ser uma boa opção.