Realismo Mágico

O surgimento da corrente literária denominada realismo mágico deu-se no começo do século XX. Também conhecida pelos nomes realismo fantástico ou realismo maravilhoso (Espanha), é considerada uma característica própria da literatura latino-americana.

A principal particularidade desta corrente literária é fundir o universo mágico à realidade, mostrando elementos irreais ou estranhos como algo habitual e corriqueiro. Além desta característica, o realismo mágico apresenta os elementos mágicos de forma intuitiva (sem explicação).

Um bom exemplo para um melhor entendimento do realismo mágico é o romance "Cem Anos de Solidão", do colombiano Gabriel García Márquez. No livro, alguns personagens ficam surpresos ao se depararem com elementos fantásticos, mas agem como se aquilo pudesse acontecer naturalmente, como se fosse comum. Algumas descrições mágicas feitas por García Márquez são: a peste de insônia e de esquecimento que atinge as pessoas; a morte e retorno à vida de um cigano, uma mulher que sobe aos céus, entre outros.

Os escritores que representam o realismo mágico são Gabriel García Márquez (Colômbia), Manuel Scorza (Peru), Mario Vargas Llosa (Peru), Julio Cortázar (Argentina), Jorge Luis Borges (Argentina), Arturo Uslar Pietri (venezuelano considerado o pai do realismo mágico), Murilo Rubião (Brasil), José J. Veiga (Brasil), Alejo Carpentier (Cuba), Miguel Angel Astúrias (Guatemala) e Carlos Fuentes (México).

No contexto histórico, o realismo mágico surgiu em um dos períodos mais conturbados da América Latina. Entre as décadas de 60 e 70, os países latino-americanos passavam por processos ditatoriais. Desta forma, o realismo surge como uma forma de reação, utilizando o elemento mágico como reforço das palavras contrárias aos regimes dos ditadores. Outro aspecto que influenciou o realismo mágico foi a discrepância entre cultura da tecnologia e cultura da superstição que havia na América Latina naquela época.

O realismo mágico influenciou até mesmo escritores europeus. Segundo opinião de alguns críticos, a obra do italiano Ítalo Calvino, do tcheco Milan Kundera e do inglês Salman Rushdie sofreram forte influência da corrente latino-americana.

Leia mais sobre os Escritores do Realismo Mágico.

Fontes:
DACANAL, José Hildebrando. Realismo Mágico. Porto Alegre, Ed. Movimento, 1970.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Realismo_m%C3%A1gico
http://www.ufrgs.br/proin/versao_2/links/index08.html
http://universofantastico.wordpress.com/2008/07/18/o-realismo-magico/
http://glamourliterario.blogspot.com.br/2010/09/o-realismo-fantastico-em-cem-anos-da.html