Tipos de Queimaduras

Por Marlene Amariz
As queimaduras são lesões causadas na pele provocadas por contato direto com: produtos químicos, radiação, calor ou frio, por certos animais e vegetais ( como ex.: larvas, água-viva, urtiga), corrente elétrica, entre outros agentes, podendo atingir também os músculos, mucosas, vasos sangüíneos, nervos e ossos e que causam dores de intensidades e graus diferentes, dependendo da extensão das queimaduras, e que podem ainda levar à infecções.

A dor da queimadura é resultante do contato das terminações nervosas com o ar. A vaselina esterilizada é utilizada muitas vezes para aliviar a dor, porém de um modo geral, não se cobre a queimadura, principalmente se ocorrer nos órgãos genitais, no rosto, ou nas mãos, para não ocorrer aderência. Experiências hospitalares, bem sucedidas, no Brasil, mostram que podem ser usadas “ tiras ou mantas de pele de rã” , para cobrir os ferimentos, embebidas em solução antibiótica.

Segundo as estatísticas, para cada 100 doentes queimados, três (3) morrem em decorrência das queimaduras.

Tipos de queimaduras

As queimaduras podem ser superficiais ou profundas e classificadas de acordo com:

1) Agente causador

Químicos: produtos corrosivos que podem ser bases fortes ou de origem ácida, como exemplos, temos: álcool, gasolina, bases e ácidos.

Físicos: tem origem no calor ou no frio, através de exposição, condução ou radiação eletromagnética. Através da temperatura, temos: líquidos e sólidos ferventes, frio excessivo, chama, vapor, objetos aquecidos, geada, neve, etc. Com a eletricidade temos: raio, corrente elétrica,etc., e com a radiação temos: raios solares, aparelhos de raios-X ou ultra-violeta, nucleares, etc.

Biológicos: são as queimaduras provocadas por animais e vegetais, como exemplo temos: Vegetais: Urtiga, látex, etc. Animais: água-viva, lagarta-de-fogo, medusa, etc.

2) Grau ou profundidade

1º grau: atingem as camadas superficiais da pele, causando vermelhidão, inchaço, dor local, às vezes insuportável, sem formação de bolhas.

2º grau: atingem as camadas mais profundas da pele, ou seja, derme e epiderme, causando formação de bolhas, pele avermelhada, com manchas e coloração variável, dor, inchaço, desprendimento de camadas da pele, e possível estado de choque.

3º grau: são as queimaduras mais profundas que atingem todas as camadas da pele, podendo chegar aos ossos. Apresentam pouca ou nenhuma dor e a coloração torna-se branca ou surge a coloração preta, devido à carbonização dos tecidos.

3) Gravidade e extensão

A conseqüência mais grave das queimaduras é a porcentagem da área corporal atingida. A maneira mais simples para esta avaliação, embora imprecisa é calcular a área queimada através da “ palma da mão do acidentado”, que corresponde à 1% de sua superfície corpórea. De acordo com esta informação temos a seguinte classificação:

a) portador de queimaduras: o acidentado tem menos de 15% da área corporal atingida.

b) grande queimado: a área corporal atingida, ultrapassa 15% (aproximadamente 15 palmos)

c) Ao atingir mais de 40% da área corporal, as queimaduras poderão provocar a morte, e acima de 70% da superfície do corpo atingida as chances de sobreviver são mínimas!

As manifestações locais mais importantes das queimaduras são: perda de líquidos corporais, não há eliminação das toxinas através do suor, formação de substâncias tóxicas, choque causado por dor intensa, destruição de tecidos e infecção.

Queimaduras Solares

São muito comuns entre os indivíduos de cor branca, predispostos, ou não habituados à exposição de raios solares, que freqüentam praias sob sol forte ou agricultores e pescadores que trabalham expostos ao sol.

Essas queimaduras embora extensas, doloridas e avermelhadas geralmente são consideradas de pequena intensidade ou de 1º grau Em associação com esse tipo de queimaduras vem a insolação, comumente mais grave que a própria queimadura, causando cefaléia, irritabilidade, transtornos visuais, zumbidos, colapso e em alguns casos o coma.

Como tratamento local, preferencialmente aplica-se óleos inertes, associados ou não à anti-histamínicos, que aliviam rapidamente a dor.

Alguns cuidados dispensados aos queimados
Cada tipo de queimadura requer um cuidado especial e específico, dependendo do agente causador, da extensão, e da profundidade dos ferimentos, porém de um modo geral, prestam-se os primeiros socorros, e em caso de necessidade encaminha-se a vítima a um posto de atendimento ou hospital. As medidas imediatas à serem tomadas poderão ser as seguintes:

1) Retirar a vítima do contato com o agente causador, neste caso deve-se ter cuidado em caso de eletricidade com as descargas elétricas,

2) Monitorar sinais vitais,

3) No caso de fogo, apagar o fogo com extintor (apropriado), abafando a vítima com um cobertor ou simplesmente rolando-a no chão.

4) A lavagem dos ferimentos com água deverá ser avaliada com cautela, pois em casos de queimaduras por pós químicos esta não é recomendada.

5) Não romper bolhas, nem aplicar pomadas, cremes ou quaisquer outras substâncias sem indicação médica.

6) Quando a área corporal queimada for avaliada entre 60% à 80% deve-se providenciar transporte imediato do acidentado. A gravidade das queimaduras também é maior nos menores de cinco anos de idade e maiores de 60 anos.

Fontes
- Ministério da Saúde e Confederação Nacional dos Transportes, Queimaduras (folder), Maio 2004
- Governo do RJ – Secretaria de Saúde e Defesa Civil – Coordenação Estadual de Queimaduras/RJ
- Rev. Bras. de Saúde Ocupacional. 95/96(25):77-100, 1999; Leal, Carmen H.S., Urticária: uma revisão sobre os aspectos clínicos e ocupacionais.

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.