Couve

Por Marina Martinez
A couve é um vegetal crucífero do gênero Brassica e pertencente à família Brassicaceae, da qual fazem parte mais de 3.000 espécies, entre elas o repolho, a mostarda, o rabanete e o nabo. Nativa da Europa e introduzida no Brasil pelos primeiros colonizadores portugueses, a couve se tornou uma das hortaliças mais consumidas e apreciadas em nosso país.

Couve
Couve
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Brassicales
Família: Brassicaceae
Gênero: Brassica
Espécie: Brassica oleracea

Caracterizada por possuir longas folhas comestíveis de formato oblongo e ondulado, que podem ser encontradas em tons de verde claro, verde escuro e até mesmo verde azulado, com limbo de aspecto frisado ou crespo, as couves são cultivadas por serem consideradas um alimento altamente nutritivo e cheio de propriedades medicinais.

Rica em vitamina A, B6, C, K e cheia de minerais como o cálcio e ferro a couve ajuda a prevenir e combater diversas doenças. Ela possui ação vermífuga, ajuda a combater problemas do fígado e estômago, é muito aconselhada para amenizar a asma e bronquite e, possui ação laxativa. Além de tudo isto, a couve possui alguns compostos como os fenólicos que segundo pesquisas, tem sido eficaz em diminuir a multiplicação de células cancerígenas. Por ser pobre em calorias (100 gramas contém 25 kcal), a couve pode estar presente em dietas de restrições calóricas, cujo objetivo é emagrecer. No entanto, as couves podem causar flatulências ou gases em alguns indivíduos.

As couves se adaptam muito bem em climas frios e amenos, onde a temperatura esteja em torno de 15 a 25 graus Celsius, e não suportam altas temperaturas. Elas são cultivadas durante todo o ano no Brasil e a espécie mais comum encontrada aqui é a couve-manteiga, que possui folhas lisas, de coloração verde claro e levemente ondulada.

Muito apreciada na culinária, as couves compõe diversos pratos típicos. Estão presentes em saladas, refogados, sucos, como também em diversas receitas tais como sopas, caldos, molhos, recheios, entre outras. Quando consumidas cruas, como nas saladas, as couves devem ser devidamente limpas, a fim de remover quaisquer microorganismos causadores de doenças que estejam ali. Para os que preferem cozinhá-la e refogá-la, o ideal é que ela fique menos tempo possível no fogo, em torno de 30 segundos, pois a couve tende a ficar muito escura e com um sabor desagradável quando expostas muito tempo sob o calor do fogo. E este tempo de 30 segundos não altera muito suas propriedades nutritivas e medicinais. Para manter a couve em ótimas condições até que se possa consumi-las o ideal e guardá-las na geladeira, em um saco plástico contendo alguns furos.

Fontes:
http://www.cnph.embrapa.br/paginas/dicas_ao_consumidor/couve.htm
http://www.cnph.embrapa.br/bib/saibaque/couve.htm
http://www.ceasacampinas.com.br/novo/DicasVer.asp?id=325&page=dica_da_semana
http://pt.wikipedia.org/wiki/Couve