Rabanete

Por Marina Martinez
O rabanete, cujo nome científico é Raphanus sativus, é uma planta herbácea, anual, de pequeno porte, com folhas verdes dispostas em roseta e flores de apenas quatro pétalas encontradas em tons de branco, rosa e roxo. Sua raiz tuberosa, de formato arredondado ou alongado possui casca de coloração predominantemente avermelhada e polpa branca. Já os frutos são do tipo síliqua, ou seja, são secos e deiscentes, constituídos por dois carpelos.

Rabanete
Rabanete
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Brassicales
Família: Brassicaceae
Gênero: Raphanus
Espécie: Raphanus sativus

Os rabanetes se desenvolvem muito bem em climas amenos a frios e exigem solos férteis, que sejam bem drenados, enriquecidos com matéria orgânica e neutros (pH em torno de 6,6 a 7,5). Requerem boa luminosidade e a forma de propagação é por semente. A produção de rabanetes no Brasil concentra-se principalmente nas regiões Sudeste e Sul.

Pertencente a família Brassicaceae da qual estão inclusas mais de 3.000 espécies, entre elas a couve, o repolho, o nabo e a mostarda, o rabanete é destaque por conter uma raiz tuberosa muito apreciada e cultivada em várias regiões do mundo, principalmente no continente Asiático, onde o consumo é elevado se comparado com os países do ocidente.

No Brasil, o consumo de rabanete não é tão comum. Porém por ser uma raiz bastante valorizada em outros países da Ásia e Europa, pelos seus usos na culinária e por conter diversas propriedades medicinais benéficas a saúde, a fama do rabanete está começando a se popularizar.

As raízes podem ser consumidas de variadas maneiras, principalmente cruas, cortadas em rodelas, formando uma salada crocante e refrescante. Além do seu sabor levemente picante, as raízes são ricas em fibras alimentares, vitamina C, folato e minerais como o potássio e fósforo. Por conter baixíssimas quantidades calóricas (100 gramas contém apenas 20 kcal), os rabanetes podem ser consumidos em dietas de restrições calóricas e com a grande vantagem de ser um alimento que ajuda na digestão dos amidos, por conter uma enzima chamada diatase. Além de tudo isto presente nos rabanetes, também são encontradas duas substâncias antioxidantes neles, são elas a luteína e zexantina. Porém, o rabanete pode causar em algumas pessoas distensão abdominal e flatulência.

Os benefícios do rabanete não param por aí. Ele também contém diversas propriedades medicinais, tanto em suas raízes, como também em suas folhas. Juntos, as raízes e folhas são consideradas poderosos calmantes, diuréticos, mineralizantes, alcalinizantes, tônicos para os músculos, antiescorbúticos, aperientes e eupépticos.

Uma curiosidade é que em Oaxaca, um estado do México localizado na parte meridional do país, existe um evento anual comemorado todo dia 23 de dezembro conhecido como a Noite dos Rabanetes. Este evento consiste numa exposição de esculturas belíssimas e criativas feitas por artesãos a partir dos rabanetes. O evento que é celebrado há cerca de 100 anos e perto da época do Natal, atrai turistas de várias partes do mundo.

Fontes:
http://globoruraltv.globo.com/GRural/0,27062,LTP0-4373-0-L-R,00.html
http://www.cnph.embrapa.br/bib/saibaque/rabanete.htm
http://www.cm-guimaraes.pt/files/1/documentos/horta/comocultivar/RABANETE.pdf