Crase

Especialista em Planejamento, Implementação e Gestão da Educação a Distância (UFF)
Graduação em Letras (Fundação Comunitária de Ensino Superior de Itabira, FUNCESI)

Cunha e Cintra (2008, p.692) definem a crase como a fusão de duas vogais idênticas numa só. Trata-se da junção da preposição “a” com o artigo “a” (s). A crase é sinalizada pelo acento [`]. A ocorrência do “à” pode ser observada a seguir:

Lembrava-se de ter ido à loja naquele dia.

Constate que o verbo “ir” exige a preposição “a”, pois quem vai, vai a algum lugar e, pelo fato de “loja” ser uma palavra feminina que admite o artigo “a”, formou-se a fusão.

craseEmpregos obrigatórios do sinal de crase

1. Em locuções adverbiais femininas

  1. O culto ecumênico será realizado às dezenove horas. (Indicação de tempo)
  2. Fui à feira de artesanato no domingo passado. (Indicação de lugar)
  3. Naquele dia, o escritório se encontrava às avessas. (Indicação de modo)

2. Em locuções prepositivas e conjuntivas

Entende-se por “locução”, a junção de duas ou mais palavras que formam significado único:

Aquela guerreira mãe estava à espera de um milagre que salvasse a vida de seu filho.

Note que a locução prepositiva compõe-se de: à + palavra feminina + preposição “de”.

Foi melhorando o seu desempenho escolar à proporção que o tempo passava.

Veja que a locução conjuntiva compõe-se de: à + palavra feminina + conjunção “que”, cuja finalidade é ligar as duas orações.

Casos em que a crase é proibida

1. Com palavras masculinas, posto que não admitem o artigo feminino “a”

O convite foi enviado a Fábio.

Aquela loja vende a prazo.

2. Com pronomes pessoais e demonstrativos, por não admitirem o acompanhamento do artigo “a”:

a) Não revelarei a ela o nosso segredo.

(Nesse exemplo, “a” é preposição, pois quem revela, revela algo a alguém.).

b) Vim a esta casa na semana passada.

(Nesse caso, “a” também é preposição, pois quem vai, vai a algum lugar.).

3. No “a”, na forma singular, antes de palavras no plural:

O artigo se remete a ideias inovadoras.

4. Com verbos:

Os alunos foram chamados a rever os erros cometidos na prova.

5. Entre palavras repetidas:

Os réus estavam frente a frente.

6. Com a palavra “terra” como antônima de “água”:

O navio chegou a terra. (terra firme)

Admite-se a crase, caso a referência seja feita à “Terra” (planeta) ou à terra (cidade natal).

7. Com a palavra “casa” e com nomes de cidade, quando não houver especificações:

a) Naquela tarde, fomos a casa.

b) Iremos a Florianópolis.

Note que não se especificam/definem a casa a que fomos, nem a cidade, sobre a qual se fala. Por isso, em ambos os casos, não se admite a presença do artigo definido “a”. Ninguém diz, por exemplo, “A Florianópolis é a capital catarinense”. Mas, pode dizer: “Iremos à belíssima Florianópolis.”.

Situações nas quais o uso da crase é opcional

1. Com nomes femininos:

O convite foi feito à Maria. / O convite foi feito a Maria.

2. Com pronomes possessivos (que expressam a ideia de posse):

Ele agradeceu à minha mãe. / Ele agradeceu a minha mãe.

3. Com a palavra até:

Ela foi dirigindo até à avenida. / Ela foi dirigindo até a avenida.

Para encerrar: O acento indicativo de crase é formado pela fusão da preposição “a” com o artigo definido “a”. Para certificar-se da existência do referido sinal, antes de determinada palavra feminina, sugere-se a busca por um equivalente masculino. Compare:

Ela vai à fazenda no próximo fim de semana.

Ela vai ao clube no próximo fim de semana.

Perceba que o verbo “vai” exige o acompanhamento da preposição “a”, pois quem vai, vai a algum lugar. Por isso, a forma “ao” (preposição + artigo definido “o”) antecede “clube”. Nesse contexto, pode-se concluir que, quando a palavra masculina foi precedida de “ao”, significa que a equivalente feminina será precedida do sinal de crase “à”.

Referência:
CUNHA, Celso; CINTRA, Luís F. Lindley. Nova gramática do português contemporâneo. 5.ed. Rio de Janeiro: Lexikon, 2008.

Arquivado em: Português