Função sintática

Mestra em Letras e Linguística (UFG, 2016)
Licenciada em Letras-Português (UFG, 2009)

Publicado em 09/06/2022
Ouça este artigo:

Sintaxe é a parte da Gramática que estuda o modo como uma palavra se relaciona com outras nos enunciados verbais, falados ou escritos. Como se sabe, as orações são enunciados estruturados em torno de um Verbo, podendo ou não apresentar Sujeito, e suas partes são chamadas de Sintagmas.

Os Sintagmas são formados por unidades sintáticas, as quais desempenham diferentes funções para a construção de sentido das orações. Cada Sintagma é uma unidade significativa que se relaciona a outra, estabelecendo na oração uma relação de ordem e dependência, modificando e determinando o outro Sintagma. Uma vez organizados e ordenados, cada elemento denotará um núcleo e função na oração.

Exemplo:

A inspetora da escola recolheu os celulares dos alunos.

Sujeito - Predicado

Sintagma nominal - Sintagma verbal

Observe que a oração é constituída por um Sujeito (A inspetora da escola), quem realiza a ação, e um Predicado (recolheu os celulares dos alunos), que representa a ação realizada pelo Sujeito. Assim, cada Sintagma possui um núcleo (inspetora, celulares), e as unidades sintáticas são dispostas na oração em conformidade à estrutura sintática já prevista na língua.

Se analisados isoladamente, é possível observar que o Sintagma nominal determina as flexões do Verbo, núcleo do Sintagma verbal “recolheu os celulares dos alunos”, indicando a ação (recolher), quando/tempo (passado/pretérito perfeito) e o que/objeto (os celulares).

Perceba que a inversão da ordem dos Sintagmas não altera o sentido do enunciado: “Recolheu os celulares dos alunos a inspetora da escola”. Entretanto, o mesmo não ocorre se houver a inversão de ordem das palavras, observe:

  • Dos a recolheu inspetora escola da alunos celulares os.
  • A da os inspetora alunos recolheu dos celulares escola.
  • Inspetora da alunos dos os escola celulares a recolheu.

Ao ler os enunciados, é possível perceber que, embora cada palavra carregue um significado, sua disposição aleatória no enunciado não produz efeitos de sentidos lógicos. Isso acontece porque tudo aquilo que falamos ou escrevemos não corresponde a um conjunto aleatório de palavras dispostas uma do lado da outra, pelo contrário.

Os enunciados são formados por unidades linguísticas e possuem uma estrutura sintática que reflete a organização específica prevista na nossa língua. A Língua Portuguesa está entre 75% do total de línguas cuja estrutura oracional é organizada em SUJEITO + VERBO + OBJETO (SVO) ou SUJEITO + OBJETO + VERBO (SOV), conforme demonstrado no exemplo:

As crianças comeram as frutas.

Sujeito - Verbo - Objeto

Sujeito: As crianças - Núcleo: crianças

Predicado: comeram as frutas - Núcleo: as frutas (Objeto direto)

Funções sintáticas

A identificação das diferentes funções entre os termos da oração ocorre através do que se chama de análise sintática. Os períodos simples (uma oração) têm a estrutura constituída por termos que desempenham funções específicas e são classificados em:

Arquivado em: Português