Química Industrial

Por Luiz Ricardo dos Santos
A química industrial não deve ser definida como um ramo da química, e sim a união de todos eles, com o objetivo de aplicar na indústria todos esses conhecimentos tão importantes para o andamento dos processos químicos industriais. É importante salientar que química industrial tornou-se uma área da ciência, e existem cursos acadêmicos que são dedicados exclusivamente a esta área e quem conclui é posteriormente titulado de bacharel em Química Industrial.

Refinaria de Petróleo. Foto: Jaochainoi / Shutterstock.com

Refinaria de Petróleo. Foto: Jaochainoi / Shutterstock.com

Como introdução histórica à química industrial, observa-se na França a comercialização de um corante extraído das raízes de um vegetal denominado rubia. Durante muitos anos este corante foi explorado diretamente da planta que gerou uma renda altíssima por vários anos, porém tendo em vista que o processo de extração era muito dispendioso, demorado e caro, e a demanda aumentava tanto no mercado externo como interno. No ano de 1876 os químicos Graebe e Lieberman, sintetizaram um corante chamado de alizarina a partir do extrato vegetal. O que além de baratear o custo também era substancialmente mais rápido e mais lucrativo. A partir daí a química industrial tem sido de grande valia para processos industriais, que ao invés de extrair diretamente da natureza, torna-se mais conveniente a síntese, e posterior produção em escala industrial.

Outros processos químicos industriais importantes são o Processo de Haber-Bosch, para obtenção do ácido nítrico e da amônia, o Processo de Solvay para produção de carbonato de sódio, a eletrólise ígnea na produção de hidróxido de sódio, cloro e hidrogênio, o Processo de contato na produção de ácido sulfúrico, obtenção de derivados do petróleo, além da hidrogenação de ácidos graxos. A produção açúcar e etanol, que tem alavancado a economia mundial, e tornou-se importante, e seu processo de produção de álcool a partir da fermentação tem sido aperfeiçoado a cada dia.

A indústria química tem crescido consideravelmente, e esse crescimento demanda um preparo maior por parte do profissional que irá atuar nessa área. A seguir são listados os mais destacados segmentos da indústria química apesar de existirem outros:

  • Fabricação de Ácidos, Bases, Óxidos e Sais para uso industrial;
  • Bebidas;
  • Açúcar e Álcool;
  • Saneantes;
  • Cosméticos;
  • Galvanoplastia;
  • Plásticos;
  • Têxtil;
  • Couro;
  • Tratamento de Água;
  • Abrasivos;
  • Tensoativos;
  • Matéria-Prima farmacêutica;
  • Química Fina;
  • Petroquímica;
  • Tratamento de Metais.

Na verdade a química industrial surgiu, juntamente com a necessidade de consumo do homem desde a descoberta do sabão, sem dúvida é a atividade industrial estruturada mais antiga que existe, visto que antigamente o sabão era obtido através da mistura de cinzas com gorduras de animais e eram deixadas em repouso por vários dias até a completa reação. Não obstante um químico francês chamado Chevreul, vendo que este era um método demorado desenvolveu um processo para que a obtenção do sabão fosse mais rápida e menos dispendiosa.

O profissional de Química Industrial

É um profissional o qual durante sua formação, consta no seu rol de disciplinas, algumas que fazem parte da engenharia como Operações Unitárias, Física Aplicada, Fenômenos de Transporte e as de ênfase chamadas de Tecnológicas e as comuns a todos os graduados em química como Química Analítica, Orgânica, Inorgânica, Físico-Química e o Cálculo.

A função do Químico industrial é planejar, organizar, padronizar as operações industriais pertinentes a fabricação dos produtos. Além de responsabilizar-se tecnicamente pelo processo produtivo diante dos CRQs (Conselho Regional de Química), desenvolver novos produtos buscando sempre o emprego de novas matérias-primas e tecnologias, com o objetivo de melhorar a competitividade no mercado, basicamente essas são a funções de um profissional desse nível.

O grande objetivo da química industrial é modernização e a busca de novas tecnologias e aperfeiçoamento das existentes na indústria química que vem crescendo a cada dia onde a sintetizar é sem dúvida o melhor caminho.

Por Luiz Ricardo dos Santos

Bibliografia:
Shreve,R.Norris e Brink Jr., Joseph A. Indústrias de processos Químicos
Editora: LTC - 4ª edição – 1980.
ALLINGER, Norman L. et al. Química Orgânica. 2. ed. Rio de Janeiro : LTC, [1976].