Superóxidos

Superóxidos são compostos inorgânicos derivados do íon O2-. Trata-se de uma das principais espécies reativas do oxigênio, que são substâncias químicas encontradas na maior parte dos seres vivos, provenientes da oxidação ou da redução do oxigênio molecular.

Os superóxidos são sais iônicos compostos por cátions alcalinos ou alcalinos terrosos, altamente reativos, de valência de -1/2, reagem com água produzindo bases, oxigênio (O2) e peróxido de hidrogênio (H2O2, a popular água oxigenada); com ácidos produzindo sais, peróxido de hidrogênio e hidrogênio; e com óxidos-ácidos produzindo sais e oxigênio.

O nome dos superóxidos é estabelecido acrescentado ao termo superóxido o nome do outro elemento componente. Exemplo:

CaO4 – superóxido de cálcio

Podemos citar com exemplos de superóxidos:

  • Superóxido de sódio – NaO2 – sólido cristalino amarelo produzido por meio do tratamento do peróxido de sódio com oxigênio a pressões elevadas, ou por oxidação de uma solução de sódio em amônia.
  • Superóxido de potássio – KO2 – composto inorgânico muito usado para a remoção de gás carbônico e água em aparelhos para respiração, e também para a regeneração do ar em atmosferas fechadas como, por exemplo, submarinos, ônibus espaciais e minas.

Os superóxidos produzidos por organismos vivos se originam da redução de apenas um elétron da molécula do gás oxigênio (O2). No processo de respiração aeróbica, a molécula O2 opera como receptora de elétrons, porém, há circunstâncias em que essa molécula consegue receber apenas um elétron, o que dá origem ao superóxido.

Por ser altamente tóxico, o sistema imunológico emprega o superóxido na destruição de microrganismos estranhos. Alguns tipos de leucócitos detêm uma enzima denominada NADPH oxidase capaz de produzir o superóxido utilizado na fagocitose de bactérias. Quando o organismo não pode produzir essa enzima, sua resistência a infecções é bastante comprometida. Os superóxidos podem danificar diversas estruturas celulares, principalmente pela sua propriedade de dar origem a novas espécies reativas de oxigênio, como os temíveis radicais livres.

Como os superóxidos são tóxicos e produzidos normalmente pelas reações metabólicas aeróbias, o organismo dispõe de uma enzima capaz de desintoxicá-los, enzima esta que recebe o nome de superóxido dismutase. Essa enzima é extremamente importante para a defesa antioxidante do organismo.

Referências:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Superóxido
http://pt.scribd.com/doc/76814537/4/Superoxidos

Arquivado em: Química