Streptococcus

Por Marilia Araujo
O gênero Streptococcus, pertencente à família Streptococcaceae, tem seus representantes esféricos (cocos) agrupados em forma de cadeia. Também são colorados gram-positivos, como os Staphylococcus. Normalmente estes organismos preferem ambientes oxigenados, porém se desenvolvem também em meio anaeróbio. Uma curiosidade acerca dos estreptococos é que são homofermentativos, ou seja, no fim da fermentação apenas um produto é obtido: o ácido láctico.

Streptococcus mutans

Essas bactérias fazem parte da nossa flora bucal, logo a transmissão é larga. Através do beijo, de um talher, da saliva enfim, por contato direto. E também estão em nosso intestino, trato respiratório e na pele. Entretanto, são facilmente extinguidas quando detergentes são utilizados na assepsia, mas resistem muito bem à desidratação. Algumas poucas espécies causam doenças para os humanos, a maioria não.

Como todo organismo vivo esse grupo de bactérias obedece a uma classificação. Neste caso, o que é levado em consideração é o tipo de morte celular (hemólise) provocado por essas bactérias. Então temos que: se a hemólise for total esse organismo é do tipo beta, se for parcial é do tipo alfa, se não houver hemólise é do tipo gama. Ou ainda podemos classificá-las de acordo com o tipo de carboidratos que possuem em sua cadeia molecular. Se assim o for, então temos que:

*Grupo A: este grupo é formado pela espécie Streptococcus pyogenes, é do tipo beta e é o que tem maior relevância. Causa algumas doenças graves que precisam de atenção especial médica: a faringite estreptocócica (a mais comum); erisipela (doença subcutânea acarretada pela circulação ineficaz); febre puerperal (pós-parto, ocorre graças a uma infecção no útero após o parto); febre reumática; glomerulonefrite aguda. Este grupo apresenta a proteína M.

*Grupo B: este grupo é formado pela espécie Streptococcus agalactiae, é do tipo beta ou gama. Esta espécie causa a meningite e septicemia em bebês recém-nascidos infectados pela mãe doente e está presente na flora vaginal de 30 – 35% das mulheres. Apresenta carboidrato B.

*Grupo C: não é formado por uma espécie única. Apresenta carboidrato C. Estes causam apenas doenças supurativas (com pus).

*Streptococcus viridans: esta espécie normalmente é alfa-hemolítico, estão presente comumente no trato oro-faríngeo. Causa danos bucais como abcessos dentários ou endocardite.

*Streptococcus mutans: esta espécie causa uma doença comum conhecida da maioria da população: a cárie dentária. Isto ocorre porque esta bactéria desmineraliza (desprotege) os dentes quando se instala neles, produzindo ácido láctico vai degradando o cálcio dental, tornando a arcada vulnerável à infecção.

* Streptococcus pneumoniae: esta espécie também é conhecida como “pneumococo”, são do tipo alfa. A comunidade médica tem uma preocupação substancial com esta espécie, pois causa doenças gravíssimas que podem levar o paciente à óbito. São elas: pneumonia; bacteremia; meningite; otite; sinusite, entre outras.

Bibliografia:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Streptococcus_mutans
http://pt.wikipedia.org/wiki/Streptococcus
http://estudmed.com.sapo.pt/microbiologia/streptococcus_1.htm
https://sioi.fcm.unl.pt/publico/fileDownload.do;jsessionid=666BD50EF3E969EE74C80039F25A892D?itemCode=1612&fileName=Streptococcus.pdf
http://estudmed.com.sapo.pt/microbiologia/streptococcus_2.htm