Júpiter

Por Caroline Faria

O maior planeta do sistema solar, Júpiter é um gigante gasoso que libera três vezes mais energia para o espaço do que aquela que ele recebe do sol.

Ele tem 1.300 vezes o volume da Terra, mas apenas 318 vezes sua massa. Isso porque, ao contrário de Mercúrio, Vênus, Terra e Marte, Júpiter não possui uma superfície sólida (os planetas assim sólidos são chamados de planetas telúricos), ele é composto por gases como o hélio.

Júpiter possui praticamente a mesma composição que o sol e, só não é uma estrela tão quente como este porque não possui densidade suficiente para elevar sua temperatura a tal ponto.

O gigante de gás não é famoso como Saturno, que tem muitos anéis, mas ele também tem seu anel de poeira. O anel de Júpiter é composto por partículas de 10 microns de diâmetro provenientes da colisão de suas pequenas luas com meteoritos. A localização e formação deste anel se dá pela existência de um campo magnético que se estende até 3 a 7 milhões de quilômetros na direção do sol.

No total, júpiter tem 66 satélites ou luas, mas as quatro principais, descobertas por Galileu em 1610, chamam-se Io, Ganímedes, Europa e Calisto.

A pressão dentro deste gigante é tão grande que todo o hidrogênio dentro dele se encontra na forma metálica: eles são quebrados de forma que seus elétrons ficam todos livres e os átomos resultantes constituem-se apenas de prótons.

Devido à sua composição gasosa, júpiter possui uma atmosfera muito profunda e diversos fenômenos interessantes. Um deles é a chamada “Mancha Vermelha de Júpiter”. Uma tempestade complexa que abriga diversas outras tempestades menores e que gira em sentido anti-horário.

As outras luas de júpiter são: Metis, Adrastea, Amaltea, Tebe, Leda, Himalaia, Lisitea, Elara, Ananke, Carme, Pasifae e Sínope.

Io é a única lua de júpiter que possui atividade vulcânica provocando neste as chamadas auroras de júpiter que nada mais são que as partículas expelidas pelas erupções de Io levadas até os pólos de júpiter pelo campo magnético deste.

Leia mais:

Fontes
http://www.if.ufrgs.br
http://www.cdcc.sc.usp.br