Galileu Galilei

Ensino Superior em Comunicação (Universidade Metodista de São Paulo, 2010)

Galileu Galilei foi um importante cientista, físico, matemático, astrônomo e filósofo italiano. Sua contribuição científica iniciou uma nova era na história da astronomia, foi o primeiro astrônomo a acessar novos conhecimentos com o uso do telescópio. Defendeu o conceito de que a Terra não era o centro do universo.

Retrato de Galileu Galilei.

Galileu Galilei nasceu em Pisa, na Itália, no dia 15 de fevereiro de 1564, filho do casal Vincenzo Galilei e de Julia Ammannati. Seus pais notaram a grande inteligência e aptidões especiais de Galilei desde cedo. O garoto apresentava interesse em artes e realizava excelentes pinturas, demonstrando habilidade manual e criatividade para fabricar brinquedos e engenhocas. Tocava órgão e cítara com desenvoltura. Assim, Galilei destacou-se nos estudos na escola dominical de Vallombrosa e planejava ingressar no monastério, mas seu pai não concordou com a ideia e o inscreveu para estudar medicina na Universidade de Pisa. Dois anos após o ingresso, desistiu do curso e foi se dedicar ao estudo de matemática. A mudança não agradou o pai, e Galilei acabou abandonando a Universidade em 1585. Não concluiu nenhuma graduação, mas no mesmo ano foi para Florença e começou a dar aulas particulares para se sustentar. Destacou por suas pesquisas em geometria e continuou com seus estudos matemáticos.

Foi nessa época que inventou a balança hidrostática, mecanismo que seria publicado em tratado detalhado no ano de 1644. Em 1589, pelo reconhecimento de suas contribuições científicas e raciocínio brilhante, foi nomeado para integrar a cátedra de matemática na Universidade de Pisa. Não era bem acolhido pelos professores, pois tinha apenas 25 anos, formação acadêmica incompleta e desacreditava publicamente das teorias consagradas de Aristóteles. Em 1590 Galilei publicou um tratado sobre o movimento dos corpos. Em 1591 foi tirado do cargo de professor, após sucumbir às intrigas e disputas com os defensores de Aristóteles. Em 1592 foi indicado pelo senado de Veneza para lecionar matemática na Universidade de Pádua, cargo que manteria por 18 anos. Em 1609 construiu um telescópio baseado no inventado anteriormente por Hans Lippershey na Holanda. Galilei fez observações minuciosas do céu e descobertas incríveis: localizou as quatro maiores luas de Júpiter e as montanhas e crateras existentes na superfície da Lua. E quando detectou manchas presentes na superfície do Sol, a descoberta contribuiu para provar sua teoria de que a estrela girava sobre um eixo. Investigou Saturno e observou o que pareciam ser duas luas fixas, que eram as bordas do sistema de anéis de Saturno, mas o telescópio de Galilei não tinha precisão suficiente para determinar exatamente o que eram aqueles pontos.

Suas descobertas foram reunidas e publicadas em março de 1610 no livro “O Mensageiro das Estrelas”. A obra foi aclamada e também gerou muita polêmica, pois Galilei defendia publicamente a teoria de Nicolau Copérnico de que o Sol era o centro de nosso Sistema Solar, e não a Terra. Naquela época, a Igreja Católica controlava totalmente a ciência e sustentava a visão oposta, de que o centro era a Terra.

Em 1616 Galilei foi acuado pelas autoridades da Inquisição e ameaçado de pena de morte, caso não renegasse publicamente as verdades científicas que tinha comprovado. Ficou expressamente proibido de ensinar e propagar ideias que fossem contrárias ao posicionamento da Igreja. Mesmo assim, em 1632 publicou o “Diálogo sobre os Dois Máximos Sistemas do Universo”, ocasionando repúdio e intolerância total da Igreja. Impedido de seguir com suas pesquisas e teorias, o cientista recolheu-se em seu castelo localizado em Arcetri, vila próxima de Florença, onde se dedicou a prosseguir seus experimentos solitariamente.

Galileu Galilei faleceu no dia 8 de janeiro de 1642 em Arcetri, na Itália. Estava quase cego pela observação das manchas solares feita sem a proteção adequada durante décadas. Trezentos e cinquenta anos depois, através do Papa João Paulo II, em 31 de outubro de 1992 a Igreja Católica reconheceu formalmente a legitimidade das teorias de Galilei.