Consciência de classe

Por Emerson Santiago
Dentro do estudo da sociologia há um conceito chamado consciência de classe, que consiste na ideia, pelo indivíduo, de pertencer reiterada e conscientemente a uma classe social específica. Além dessa consciência, o sujeito age de forma solidária e normalmente organizada, com outros que possuem a mesma orientação, na defesa dos seus interesses coletivos, o que acaba por gerar várias ações político-sociais.

A consciência de classe é, ao contrário da posição de classe mais uma concepção que o ser humano possui de si mesmo, de sua posição dentro da sociedade. Com isso, tal visão pode se mostrar equivocada, uma ficção. Para a estruturação da consciência de classe concorrem aspetos como a posição nas relações de produção (conceito objetivo), combinado aos hábitos, estilo de vida e outros comportamentos culturais (conceito subjetivo).

O problema da consciência mereceu por parte de Marx e Engels uma prolongada reflexão. Sua investigação foi determinante para um famoso conceito da dupla, a luta de classes. Ao adquirir consciência da sua posição de classe, o indivíduo passa a agir de forma organizada nos diversos contextos sociais, em especial nos campos político e laboral. Considerando a vida como a existência quotidiana e material dos homens e das mulheres na sociedade, Marx e Engels articularam no plano ideológico a consciência com a produção das ideias.

Partindo do princípio de que os indivíduos das classes dominantes possuem, entre outras coisas, consciência disso, as ideias dominantes são aquelas propagadas pela classe dominante, pois esta dispõe, além dos meios de produção material, os meios de produção intelectual. Mesmo assim, os indivíduos das classes sociais dominadas desenvolvem estratégias de resistência.

Tais estratégias são a fórmula possível encontrada pelas classes sociais dominadas para minimizar os diversos modos de exploração a que se encontram submetidas pelas classes dominantes, evitando colocar em risco a segurança da subsistência e da estabilidade com um rendimento mínimo. As estratégias de resistência são de alcance limitado e raramente ecoam  em outros espaços, como por exemplo no nível político-partidário, onde as classes dominadas votam predominantemente nos partidos conservadores ligados àqueles que as dominam.

Assim, entende-se que a consciência de classe é algo inerente e também necessário às classes dominadas, e que a plena consciência de sua situação levará, por consequência, tais pessoas humildes à luta de classes, na busca de uma maior igualdade social. Em boa medida, tal processo seria impulsionado pelos intelectuais revolucionários, cujas ideias seriam difundidas por organizações de natureza política, como os partidos.

Bibliografia:
consciência de classe. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2013. [Consult. 2013-07-22].
Disponível na www: <URL: http://www.infopedia.pt/$consciencia-de-classe>.