Ordem Volvocida

A Ordem Volvocida (ou Volvocales)  é um táxon de algas verdes (Chlorophyta, Reino Plantae), no qual os cloroplastos grandes contem clorofilas a e b e um pirenóide que sintetiza o amido (amilopectina) como produto de reserva alimentar. Os seus representantes são conhecidos como volvocídeos. Muitas algas clorófitas são imóveis de águas marinha e doce, como exemplo a Spirogyra filamentosa (água doce). As células dos Volvocida são permanentemente flageladas, ou seja, cada célula apresenta um número certo de flagelos que podem ser de dois, quatro ou oito, e todos sem os mastigonemas. Também podemos encontrar nestes organismos um ocelo e dois vacúolos contráteis. As células estão inseridas em uma matriz gelatinosa composta por glicoproteínas e por glicoaminoglicanos e ainda estão interligadas por pontes citoplasmáticas.

Colônia de Gonium

Colônia de Gonium

Dentre as espécies que possuem flagelos temos que algumas são solitárias, como a Chlamydomonas, e outras formam colônias. Neste último caso temos como exemplo as colônias de Gonium, que são placas achatadas compostas geralmente por 16 (podendo ter até 40) células. Porém outros gêneros formam esferas completamente ocas, tais como: Pandorina (16 a 32 células), Eudorina (32 células), Pleodorina (64 a 128 células), Volvox (2.000 a 6.000 células).

As Chlamydomonas se reproduzem de modo assexuado por fissão binária longitudinal. Já nos representantes do gênero Volvox, apenas as células especializadas e os gonídios são capazes de realizar reprodução assexuada e sexuada. Durante o processo reprodutivo vegetativo, um gonídio sofre fissão múltipla e origina uma esfera oca no interior da colônia parental. A polaridade dessa esfera formada é oposta a da parental. No intuito de corrigir esta polaridade inversa, a colônia filha faz outra inversão e reorganiza a esfera.

Volvox

Volvox

Os volvocídeos tem um ciclo de vida dominante haplóide com meiose pós-zigótica. Na maioria das espécies Chlamydomonas, as duas células que são idênticas estruturalmente vão atuar como gametas (isogametas) que se fundem e formam um zigoto. Há também outras espécies que apresentam o começo da diferenciação sexual apresentando gametas que diferem apenas em tamanho (anisogamias). No gênero Pleodorina, a distinção em tamanho é fortemente acentuada, mas os macrogametas maiores ainda possuem os flagelos e são livre-natantes. E por fim no caso dos Volvox, os ovos e os espermas verdadeiros se desenvolvem a partir de gonídios na parte posterior da colônia.

O ovo é estacionário e fertilizado dentro da colônia-mãe por um grupo de espermatozóides que são liberados por outra colônia. As colônias podem ser tanto monóicas como dióicas.