Hipocampo

Graduada em Ciências Biológicas (UNISUAM, 2010)
Graduada em Zootecnia (FAGRAM, 2006)

O hipocampo é uma estrutura encontrada nos lóbulos temporais do cérebro dos seres humanos, tanto do lado direito quanto do lado esquerdo, abaixo da superfície cortical. Ele possui formato curvado com secções coronais, possuindo uma forma que remete a um cavalo marinho, sendo esta semelhança a origem do seu nome: a junção das palavras gregas “hipo” para o cavalo e os “kampos” para o mar. Pode ser considerado o principal local de armazenamento temporário da memória, principalmente a memória a longo prazo. Faz parte do sistema límbico, que é o conjunto de estruturas responsáveis pelo sentimento. O hipocampo é vascularizado pelas artérias hipocampais.

Localização do hipocampo. Ilustração: Henry Vandyke Carter / Gray's Anatomy. Via Wikimedia Commons.

Ele é primordial para transformar a memória de curto prazo em memória de longo prazo. Quando uma pessoa sofre uma lesão no hipocampo, ela fica impossibilitada de criar novas memórias, passando a ter a impressão de estar num lugar desconhecido constantemente. Suas novas experiências não são armazenadas, mesmo que as lembranças mais longínquas estejam íntegras.

Há registros de caso de paciente que para destruir os sintomas que possuía com a epilepsia, teve o seu hipocampo retirado nos dois lados do lóbulo temporal central. Após a retirada do hipocampo, ele deixou de registrar os conhecimentos recém-adquiridos. A inexistência do hipocampo fez com que a memória antiga (aquela que foi apreendia antes da retirada do hipocampo) permanecesse intacta, mas fez com que as novas lembranças não sejam armazenadas, ou seja perdeu a eficácia de transformar a memória de curto prazo em memória de longo prazo.

Pode-se perceber que o hipocampo é um caminho importante para que as lembranças antigas sejam armazenadas, contudo não é o lugar onde são guardadas. As lembranças são levadas para o hipocampo (memória temporária) e logo depois elas vão para o córtex cerebral (é a camada mais externa do cérebro dos vertebrados, é rico em neurônios). O hipocampo irá informar ao córtex cerebral da importância de se reforçar determinada informação, assim, consolidando a memória sobre algum evento.

Quando o hipocampo é deteriorado por falta de oxigênio, infecção e outras disfunções, a pessoa irá ter amnésia e não conseguirá mais guardar lembranças.

Para acontecer a formação de uma memória de longo prazo é necessário que ocorram diversos processos no hipocampo e em diversas partes do cérebro, e este processo demora em média seis ou mais horas. Pode-se observar este processo quando um indivíduo sofre algum tipo de trauma, onde ele esquece o que aconteceu minutos com ele antes do evento ocorrido. Com o tempo a pessoa pode recuperar a lembrança.

Para que estas lembranças sejam armazenadas, é necessário que as sinapses (região de encontro entre dois neurônios, onde agem os neurotransmissores e transmitem os impulsos nervosos de um neurônio a outro) levem estas informações e a quantidade de sinapses envolvida irá depender do tipo de memória, por exemplo, abrir uma garrafa de refrigerante, envolve poucos milhões de sinapses, se for uma lembrança mais complicada, pode envolver bilhões de sinapses.

Referência Bibliográfica:

http://members.tripod.com/geovane_nho.br/ia/memoria/anatom_memoria.htm

http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/letronica/article/viewFile/4988/4060

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-44462004000300011

http://www.news-medical.net/health/Hippocampus-What-is-the-Hippocampus-(Portuguese).aspx

Arquivado em: Anatomia