Quadril

Graduação em Fisioterapia (Faculdade da Serra Gaúcha, FSG, 2014)

O quadril é uma das estruturas mais complexas da anatomia humana. É a estrutura responsável por sustentar o peso do corpo, estando conectado diretamente aos membros inferiores. Apesar de ser uma articulação classificada como anfiartrose, pois possui a sínfise púbica, acaba tendo uma movimentação muito restrita. Já na articulação que faz conexão com os membros inferiores, a movimentação é muito mais ampla, permitindo maiores ângulos de movimento. Na articulação sacro-ilíaca, também se realizam movimentos de amplitude restrita, caracterizando-se por ser uma articulação sinovial tipo diartrose de “esfera-soquete”, formada basicamente pela cabeça do fêmur encaixada no acetábulo do ilíaco.

As estruturas ósseas que compõem o quadril são formadas pelos ilíacos, sacro e fêmur, formando assim as seguintes articulações: sínfise púbica, articulação sacro-ilíaca e articulação femoroacetabular. Nas estruturas onde se articulam os ossos, encontra-se a cartilagem hialina, principalmente na articulação femoroacetabular, fazendo com que a congruência entre as estruturas seja muito maior, promovendo assim maior estabilidade. Além disso, a cartilagem promove amortecimento de impactos, juntamente com as membranas sinoviais, que participam de forma ativa na secreção de fluido sinovial para que a cápsula articular se mantenha lubrificada.

Ossos e ligamentos do quadril. Ilustração: Hank Grebe / Shutterstock.com [adaptado]

Para que a articulação se mantenha estável, é necessária uma ampla estrutura muscular e ligamentar. Dentre as estruturas musculares, podemos citar como principais:

  • Glúteo máximo: Realiza os movimentos de extensão e rotação lateral do quadril.
  • Glúteo médio: Realiza os movimentos de abdução e rotação medial da coxa.
  • Glúteo mínimo: Realiza os movimentos de abdução e rotação medial da coxa. Já as fibras anteriores realizam a flexão do quadril.
  • Piriforme: Realiza os movimentos de abdução e rotação lateral da coxa.
  • Gêmeo superior: Realiza o movimento de rotação lateral da coxa.
  • Gêmeo inferior: Realiza o movimento de rotação lateral da coxa.
  • Obturatório interno: Realiza o movimento de rotação lateral da coxa.
  • Obturatório externo: Realiza o movimento de rotação lateral da coxa.
  • Quadrado femoral: Realiza o movimento de rotação lateral e adução da coxa.

Sobre os ligamentos estabilizadores, podemos citar:

  • Cápsula articular: estrutura espessa, responsável por envolver a articulação coxofemoral.
  • Ligamento iliofemoral: encontra-se anterior à articulação, reforçando a ação da cápsula articular.
  • Ligamento pubofemoral: encontra-se na crista obturatória e ramo superior do púbis, unindo-se distalmente com a cápsula articular e ligamento iliofemoral.
  • Ligamento isquiofemoral: feixe triangular que se origina no ísquio distal e posterior ao acetábulo, se unindo às fibras circulares da cápsula articular.
  • Ligamento da cabeça do fêmur: ligamento inserido na fóvea da cabeça do fêmur e incisura da cavidade acetabular. Em algumas pessoas, não se encontra essa estrutura.
  • Orla acetabular: fibrocartilagem encontrada na margem do acetábulo, aumentando a profundidade da estrutura da cavidade.
  • Ligamento transverso do acetábulo: porção da estrutura da orla acetabular que consiste em fibras mais reforçadas que realizam um cruzamento na incisura acetabular.

A estrutura do quadril é uma das articulações mais funcionais do organismo, depois da articulação do ombro. Devido à grande quantidade de movimentos que a articulação possibilita, o quadril é uma das estruturas que possuem maior movimentação. A articulação femoroacetabular é responsável pela maior parte dos movimentos. Ela permite com que o fêmur realize livremente a rotação de 360º, bem como essa mesma estrutura consegue girar em torno do seu próprio eixo cerca de 90º. Devido à grande amplitude, geralmente nos movimentos desportivos acabam-se praticando movimentos na amplitude total, ou mesmo em amplitudes maiores do que a articulação poderia suportar, expondo assim à possíveis intercorrência e predispondo a manifestação de patologias.

Vale salientar que, pelo fato de ser uma das articulações mais importantes do organismo, tem como principais funções a sustentação de peso e a locomoção. Por conta dessas funções, é necessária toda a estrutura óssea e muscular para que os movimentos e suporte de carga corpórea seja mantido com o máximo de integridade.

Leia também:

Referências:

NETTER, Frank H.. Atlas de Anatomia Humana. 2ed. Porto Alegre: Artmed, 2000.

TORTORA, Gerard J. Corpo Humano – Fundamentos de Anatomia e Fisiologia. Porto Alegre. 4ª ed. Artmed Editora. 2000.