Cetáceos

A maioria dos vertebrados sofreram muitas mudanças para a vida terrestre. Porém, na linhagem dos mamíferos há o retorno de alguns animais para água. Um desses grupos são os cetáceos (Cetacea), único grupo 100% aquático.

O boto-cor-de-rosa (Inia geoffrensis) é um cetáceo. Foto: guentermanaus / Shutterstock.com

Estrutura corporal

Os cetáceos não têm pelos nem glândulas. Os membros anteriores são modificados para nadadeiras em formato de remo e os posteriores são ausentes.

Controle da temperatura

Para manter a temperatura os cetáceos têm uma espessa camada de gordura, já que não têm pelos pelo corpo. Além de terem as nadadeiras como janelas termais. As nadadeiras têm maior temperatura que o resto do corpo usando o aquecimento do sangue nessa área para tanto esfriar quanto esquentar o corpo.

Sistema nervoso

Os cetáceos têm a visão muito bem desenvolvida. Eles têm uma estrutura chamada tapetum lucidum que ajuda a aumentar a visão em ambientes com pouca luz. Já o olfato não é muito bem desenvolvido. E não têm ouvido externo, mas o ouvido interno é bem denso.

Sistema excretor

Os rins têm várias unidades excretoras como se fossem rins pequenos que trabalham independentemente, mas existem os dutos que se juntam na uretra. As muitas estruturas excretoras ajudam na retenção de líquido já que eles podem desidratar, pois a água do mar ou estuarina tem mais sais do que os líquidos corporais dos animais (então a água acaba saindo do corpo dos animais).

Mergulho e sua relação com o sistema respiratório e circulatório

Os cetáceos sofreram um processo chamado telescopia, a narina migrou para o topo da cabeça. Como esses animais caçam seus alimentos embaixo d’água, eles desenvolveram estratégias para ficar algum tempo sem respirar, já que a respiração deles é pulmonar. O orifício da narina se fecha evitando entrada de água, os vasos se contraem e o sangue é levado somente para órgãos vitais como o cérebro e o coração, os batimentos cardíacos diminuem e além das hemácias, os cetáceos têm um grande número de mioglobina. Essa molécula se liga mais facilmente ao oxigênio e o retém por mais tempo também.

Sistema reprodutivo

A fecundação dos cetáceos é interna e há um espaço de um a dois anos entre as cópulas e gestações. Em algumas espécies as fêmeas deixam de se alimentar na época de amamentação, em outras o filhote sai junto com a mãe enquanto ela vai se alimentar.

Sistema digestivo e alimentação

Os cetáceos têm tudo digestivo completo. O tubo digestivo é longo e o estômago não tem glândulas. Há períodos de alimentação e reprodução. Nos períodos de alimentação os animais se deslocam para os polos, onde há maior nível de produção de alimento.

Sistemática

Cetacea pode ser dividido nas subordens Odontoceti e Mysticeti.

Mysticeti

Os misticetos não têm dentes. Na verdade possuem placas que filtram o alimento da água. Eles têm duas aberturas nasais no topo da cabeça. As fêmeas são, geralmente maiores que os machos. Formam grupos sazonais, principalmente na época de acasalamento. Existem 4 famílias: Eschrichtidae (baleia Cinza), Balaenidae (baleia Franca), Neobalaenidae (baleia Franca anã), Balaenopteridae (Jubarte e baleia Azul).

Odontoceti

Os odontocetos têm dentes, o corpo é menor que dos misticestos, fazem ecolocalização, têm, no crânio, uma estrutura chamada melão e caçam em grupos. São 9 as famílias existentes: Delphinidae (golfinhos e orcas), Phocoenidae (porpoises), Kogiidae (Cachalote anã), Ziphiidae (baleia Bicuda), Physeteridae (cachalote), Monodontidae (Beluga), Iniidae (Boto da amazônia), Platanistidae (Boto do rio Ganges), Pontoporiidae (Boto do ria La Plata). Na ecolocalização o ar entra pela narina no topo da cabeça, vibra estruturas chamadas bursas que vibram o melão transmitindo ondas sonoras na água. O som é recebido por canais acústicos na mandíbula inferior e transmitido para o ouvido interno.

Referências:

Hoelzel, Biologia dos mamíferos marinhos – Uma abordagem evolucionária – Páginas 73 a 97

Barreto, Apostila de nectologia – Mamíferos marinhos, 2001 – Páginas 3 a 5 e 11 a 24

Kinze, Mamíferos marinhos – Páginas 410 a 424

Arquivado em: Mamíferos