Gato-bravo

O Felis silvestris, conhecido popularmente como gato-bravo, é um felino de médio porte. De origem europeia, africana ou asiática, o animal também é chamado de gato-montês ou gato-cabeçana. Por ser uma espécie com boa adaptação e versatilidade, o gato-bravo pode ser encontrado em ambientes diversos como: estepes, florestas e nas savanas da África. Um dos descendentes mais conhecidos do Felis Silvestris é o gato-doméstico, que faz parte da subespécie chamada Felis silvestris catus. Comparativamente, o gato-bravo é um pouco mais robusto do que os domesticados, mas apresenta quase o mesmo tamanho.

Entre outras características, estão sua cabeça arredondada e grande, mandíbulas afiadas e poderosas contras as presas, curto focinho, olhos verdes (em geral) e patas fortes, ágeis e curtas. No que se refere aos pelos, são normalmente na coloração acinzentada ou acastanhada, permitindo que se camufle ao seu habitat, fugindo de predadores. Porém, um de seus atributos mais chamativos é a grossa cauda tufada, apresentando entre três e cinco anéis escuros (pretos, na maioria), bastante espaçados e largos, que terminam em uma ponta arredondada e negra. O corpo tem listras laterais que chegam até as patas, sendo que não existem gatos-bravos com pintas, ao contrário do que se vê nos domésticos.

O tamanho do Felis silvestris macho fica numa faixa entre 52 e 65 centímetros de comprimento. Já o peso, fica em média de cinco e sete quilos. No caso das fêmeas, o comprimento é de 48 a 57 centímetros, chegando a aproximadamente 3 quilos e meio. É importante lembrar que o peso destes animais tem variação sazonal.

No que se refere ao habitat, o Felis silvestris habita de forma predominante bosques cerrados, podendo ser encontrado em florestas do tipo conífera e matagais mediterrâneos. No período diurno, muitas vezes refugiam-se em fendas de rochas e árvores, além de tocas que foram abandonadas por outros animais.

Normalmente, o gato-bravo apresenta um comportamento arisco e acanhado, sendo mais ativo durante o período noturno, o que faz com que dificilmente seja observado. Assim como todos os felinos, o Felis silvestris vive solitariamente. Além disso, controla seu território (que pode chegar a 3,5 quilômetros quadrados) em relação a possíveis invasores. Em Portugal, o território do gato-bravo pode chegar a 12 quilômetros quadrados. Somente no período do acasalamento, que ocorre normalmente ao fim do inverno boreal, fêmeas e machos procuram-se no intuito de procriar. Assim como os gatos domésticos, o Felis silvestris apresenta sentidos bastante aguçados como visão, olfato e audição. Passam grande parte do tempo pendurados ou trepados em galhos ou ramos de árvores.

Fontes:
http://carnivora.fc.ul.pt/especies/gatobravo.htm
http://www.cienciahoje.pt/index.php?oid=56208&op=all
http://en.wikipedia.org/wiki/Wildcat
http://www.iucnredlist.org/details/8543/0

Arquivado em: Gatos