Maiores estrelas conhecidas

Graduado em Física (UFMG, 2011)

Para um observador da Terra, a estrela de maior tamanho aparente é o Sol, abrangendo uma região do céu de proporções igualadas apenas pela Lua cheia. As demais estrelas aparecem como minúsculos pontos de luz, muito menores que o disco solar e muito menos brilhantes que ele. Essa, no entanto, não é uma percepção que corresponde à realidade física desses objetos, sendo devida a um efeito de perspectiva e ao fato de que a intensidade da luz diminui conforme a distância entre a fonte luminosa e o observador. Vemos as estrelas tão pequenas e pouco brilhantes porque elas estão muito mais distantes do nosso planeta que o Sol. Apenas a partir do uso telescópios e de engenhosas técnicas astrofísicas é possível perceber suas reais e grandiosas dimensões.

O Sol tem um diâmetro de 1.391.400 km, o que equivaleria a praticamente 110 planetas iguais à Terra empilhados, e uma massa de 1,989 x 1030 kg (o número 1.989 seguido de 27 zeros!), o que equivale a 99,86% de toda a massa contida no Sistema Solar. São números absolutamente impressionantes! Em escala cósmica, no entanto, as dimensões solares são modestas quando confrontadas com os dados de um grande número de estrelas. O Sol, de fato, está entre as menores estrelas conhecidas, embora seja maior que as estrelas do tipo mais comum na Galáxia, as anãs vermelhas.

A pequenez do Sol logo fica evidente quando comparado a uma de suas vizinhas não muito distantes, a estrela Betelgeuse, da constelação de Órion. Localizada a uma distância de 642,5 anos-luz da Terra, Betelgeuse é uma estrela supergigante vermelha de brilho variável, o que significa que seu diâmetro varia conforme a pulsação de suas camadas externas. Em seu valor mínimo, o raio de Betelgeuse é 950 vezes maior que o raio do Sol; em seu valor máximo, 1.200 vezes maior que o do Sol. Nesta situação, Betelgeuse seria capaz de abrigar quase 2 bilhões de sóis em seu interior e, se colocada no centro do Sistema Solar, seu diâmetro engoliria todas as órbitas até Saturno.

Uma estrela ainda maior é VY Canis Majoris, uma supergigante vermelha localizada a mais de 5.000 anos-luz da Terra, na constelação do Cão Maior. Com um raio equivalente a 1.540 raios solares, esta estrela detinha, até alguns anos atrás, o título de maior estrela conhecida. Hoje, há o registro de várias outras supergigantes vermelhas de tamanho similar, como as estrelas RW Cephei e V354 Cephei, na constelação de de Cefeu, VX Sagittarii, na constelação de Sagitário, e a distante WOH G64, uma estrela da Grande Nuvem de Magalhães, a 168.000 anos-luz da Terra.

Comparação entre o Sol e YV Canis Majoris. Ilustração: Oona Räisänen / via Wikimedia Commons [PD]

A maior estrela de que se tem conhecimento atualmente é UY Scuti, localizada a 9.500 anos-luz da Terra, na constelação do Escudo. Esta supergigante vermelha de brilho variável possui um diâmetro que varia de 1.516 a 1.900 vezes maior que o do Sol, o que a tornaria capaz de abrigar quase 7 bilhões de sóis em seu interior. Sua liderança, contudo, é ameaçada pela supergigante vermelha NML Cygni, da constelação do Cisne, a 5.300 anos-luz. Localizada dentro de uma nebulosa, o que impede uma medição precisa, o diâmetro de NML Cygni está estimado entre 1.642 e 2.775 vezes o diâmetro solar, valores que a situam ou em segundo ou em primeiro lugar na lista das maiores estrelas conhecidas.

Referências:

CAIN, F. What is the biggest star in the universe? Disponível em: <https://www.universetoday.com/13507/what-is-the-biggest-star-in-the-universe/>. Acesso em 01 de jan. 2018.

INPE. Descrição do Sistema Solar. Disponível em: <http://www.das.inpe.br/ciaa/cd/HTML/sistema_solar/3_3.htm>. Acesso em 01 de jan. 2018.

Arquivado em: Astronomia