André Lara Rezende

Licenciatura em História (IFG, 2022)

Ouça este artigo:

André Lara Rezende é um economista, banqueiro e acadêmico brasileiro, um dos criadores, junto com Pérsio Arida, da teoria econômica da “Inflação Inercial”, que foi a base dos planos Cruzado e Real, que combateram a hiperinflação dos anos 80, nos governos dos presidentes José Sarney e Itamar Franco.

Nascido no dia 24 de abril de 1951, André Lara Resende é filho de Helena Pinheiro Guimarães e do jornalista Oto Lara Resende. Formou-se em economia em 1973, pela PUC – RIO (Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro) vindo a concluir seu mestrado em 1975, pela Escola de Pós-Graduação em Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Nos Estados Unidos tornou-se Phd em economia, no Massachussetts Institute of Technology, voltando ao Brasil em 1979, para lecionar economia na PUC – RIO.

André Lara permaneceu na instituição até 1985 e, em meados dos anos 80, com o fim do regime militar, e no auge dos problemas econômicos oriundos desse período, como a hiperinflação, Lara Rezende, juntamente a Pérsio Arida, se engajou em estudos sobre esse problema. Desenvolveram em conjunto, durante os anos de trabalho e pesquisas na PUC, a teoria da “Inflação Inercial”, que mais tarde, se tornou o artigo: “Inertial inflation and monetary reform in Brazil” (1985).

O projeto de contenção da inflação, desenvolvido pelos dois, personificou-se no chamado “plano Larida”, no qual, o governo deveria criar uma moeda nova – que existiria juntamente com a moeda vigente, o cruzeiro, que com o tempo, perderia espaço perante a nova moeda.

Durante o governo do presidente José Sarney (1985 a 1990), André trabalhou no Conselho de Administração do Banco Central, onde ficou até 1986. nessa equipe, suas pesquisas ajudaram na criação do Plano Cruzado, que marcou o governo Sarney. Nele, se criou uma nova moeda, o cruzado, e se congelou salários e preços.

É importante ressaltar que, André Lara Resende e Pérsio Arida, foram contra o congelamento dos preços, contudo, não tinham controle das ações do governo. Situação bem diferente da que ocorreria futuramente, ao serem escalados para auxiliarem o presidente Itamar Franco no combate à inflação, após o fracasso das medidas de Sarney.

De 1987 até 1993, trabalhou fora do governo, em iniciativas privadas (direção das Lojas Americanas, grupo Moreira Salles). Integrou o conselho do The Capital Group, em Los Angeles (EUA) até 1997.

Na presidência de Itamar Franco, Lara Resende se tornou chefe, em 1993, das negociações da dívida externa brasileira. No último ano do governo, integrou com Pérsio Arida, uma equipe de economistas consultados para conceber o Plano Real, que teve como base, seus estudos com Arida, de tempos atrás. O plano iniciou com a instituição do URV, uma Unidade Referencial de Valor, que levou a gradativa substituição da moeda vigente pelo real.

O Plano Real, projeto de estabilização econômica a partir da criação da nova moeda, teve êxito e conteve a inflação, elevando a popularidade do presidente Itamar Franco e “catapultando”, nas palavras do historiador Carlos Fico, a candidatura de Fernando Henrique Cardoso, eleito presidente da República em 1994.

No governo FHC, Lara Resende foi assessor especial da Presidência e em 1998, presidente do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), renunciando ao cargo em novembro, frente a acusações de improbidade administrativa. Lara Resende retornou para a iniciativa privada, trabalhando como consultor de faculdades e empresas entre 2000 e 2007.

Recebeu em 2006, da Ordem dos Economistas do Brasil, o prêmio de “Economista do Ano” e em 2009 foi absolvido da acusação de improbidade, levantada pelo Ministério Público, dedicando-se a vida acadêmica, na Universidade de Oxford.

Lara Resende auxiliou a campanha de Marina Silva durante as eleições presidenciais de 2018, que culminaram na vitória de Jair Bolsonaro. Da mesma forma que seu velho amigo Pérsio Arida, Lara se tornou opositor da gestão do presidente Bolsonaro, vindo a apoiar a frente ampla que conseguiu eleger Luiz Inácio Lula da Silva, do PT, para a Presidência da República nas eleições de 2022, vindo a compor também a equipe de transição do novo governo.

Bibliografia:

DUVOISIN, Lauro Allan Almeida. Os intelectuais orgânicos do capital financeiro internacional: um estudo da trajetória dos “pais” do Plano Real no Brasil. 2020. Tese (Doutorado) - Programa de Pós-graduação em Ciência Política da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, Porto Alegre, 2020.

ALBUQUERQUE, Mateus Coelho Martins. Política, Economia e Democracia: as sabatinas no Senado Federal dos indicados ao Banco Central nos governos FHC e Lula. 2019. Tese (Mestrado) – Curso de Mestrado em Ciências Sociais, da Universidade Federal de Santa Maria, UFMS, RS, 2019.

CartaCapital. Economista que formulou o Plano Real declara apoio a Lula. Disponível em: https://www.cartacapital.com.br/cartaexpressa/economista-que-formulou-o-plano-real-declara-apoio-a-lula/ (Acessado dia: 01/12/2022).

CASADO, Letícia. Saiba quem são Arida e Lara Resende, os “pais” do Real na equipe de Lula. In: UOL. Disponível em: https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2022/11/08/saiba-quem-sao-arida-e-lara-resende-o-pais-do-real-na-equipe-de-lula.htm ( Acessado dia: 01/12/2022).

FICO, Carlos. A democracia sob teste. In: História do Brasil Contemporâneo. São Paulo: Contexto, 2021. p. 125 – 141.

FGV. RESENDE, André Lara. Verbete biográfico. Disponível em: https://www18.fgv.br//cpdoc/acervo/dicionarios/verbete-biografico/resende-andre-lara (Acessado dia: 01/12/2022).

Arquivado em: Biografias