Angela Merkel

Ensino Superior em Comunicação (Universidade Metodista de São Paulo, 2010)

Angela Merkel é física e política alemã, Chanceler da Alemanha desde 2005. É a primeira mulher a ocupar a chefia do governo federal, tendo sido reeleita por quatro vezes.

Primeira-ministra da Alemanha, Angela Merkel. Foto: © Raimond Spekking / CC BY-SA 4.0 (via Wikimedia Commons)

Angela Dorothea Kasner nasceu no dia 17 de julho de 1954, em Hamburgo, na Alemanha Ocidental. É a mais velha dos três filhos do pastor protestante Horst Kasner e de Herlind, professora de inglês e latim.

Meses após Angela nascer, a família mudou-se para Templin na Alemanha Oriental, onde seu pai assumiu uma igreja luterana.

Cresceu na região comunista do país militando pela Juventude Livre Alemã, de orientação socialista, mas mantinha-se informada lendo e assistindo programas da Alemanha Ocidental. Em Templin frequentou a escola e foi premiada por sua proficiência em russo e Matemática. Em 1973 ingressou na Universidade de Leipzig para estudar Física e lá conheceu seu primeiro marido, Ulrich Merkel, de quem manteve o sobrenome após o final do casamento de cinco anos.

Merkel graduou-se em 1978 e trabalhou no Instituto Central de Físico-Química da Academia de Ciências em Berlim, sendo a única mulher do departamento. Paralelamente continuou os estudos desenvolvendo uma tese sobre química quântica e concluiu o doutorado em 1986. Durante esse período, trabalhou como pesquisadora e publicou artigos científicos.

Em 1989, com a queda do Muro de Berlim, Angela Merkel integrou-se ao movimento em busca da democratização do país, participando do partido de direita Despertar Democrático. Após a primeira e única eleição democrática da Alemanha Oriental, Merkel tornou-se a porta-voz adjunta do novo governo interino liderado por Lothar de Maizière. Com o fim da Guerra Fria, filiou-se ao partido conservador União Democrata Cristã (CDU). Em dezembro de 1990 houve a primeira eleição pós-reunificação da Alemanha e Merkel foi eleita para o Bundestag (Parlamento da República Federal da Alemanha).

Em 1991 foi nomeada ministra da Mulher e da Juventude, permanecendo até 1994. Era a mais jovem ministra do chanceler Helmut Kohl e na sequência foi nomeada Ministra do Meio Ambiente e da Segurança Nuclear, ocupando o cargo de 1994 a 1997. Em 1998 casou-se com o químico quântico e professor universitário Joachim Sauer. O casal não teve filhos.

Em 1998 Angela Merkel foi nomeada secretária geral do CDU. Nessa época o partido passou por um escândalo de possível envolvimento dos líderes em financiamento de campanha, inclusive atingindo o chanceler Kohl.

Merkel destemidamente publicou uma carta aberta em um jornal, denunciando o chanceler e afirmando que “era hora dele abandonar a política”.

Com a imagem abalada, o partido perdeu as eleições federais daquele ano.

Em 2000 Merkel foi eleita presidente da União Democrata Cristã e potencial candidata para disputar o cargo de chanceler em 2005.

Em 30 de maio de 2005 a política foi escolhida pela coligação CDU/CSU (União Democrata Cristã / União Social Cristã) para concorrer com Gerhard Schröder, chanceler que pleiteava sua permanência no cargo.

Dia 22 de novembro Angela Merkel venceu as eleições com 397 votos favoráveis dos 611 do parlamento. Assim tornava-se a primeira mulher na chefia do governo da Alemanha e a primeira chanceler provinda da Alemanha Oriental.

Em 27 de setembro de 2009 Merkel venceu pela segunda vez a disputa pelo cargo de chanceler e em 17 de dezembro de 2013, a terceira vitória foi conquistada com a maioria absoluta dos votos.
Em 2015 a revista norte-americana Time escolheu Angela Merkel como a personalidade do ano, devido à sua notável política de acolhimento para refugiados diante da crise migratória após a guerra da Síria e do avanço do estado Islâmico. No dia 14 de março de 2018 Angela Merkel foi reeleita chanceler obtendo a maioria absoluta necessária dos votos no primeiro turno.

Para seu quarto mandato, prometeu a reestruturação do governo federal com a inclusão de novas pastas e a transformação de assuntos digitais, educação e formação profissional em novos focos de trabalho.

Fontes:

https://piaui.folha.uol.com.br/materia/a-alema-tranquila/

https://super.abril.com.br/mundo-estranho/mulheres-que-mudaram-a-historia-angela-merkel/

https://www.dw.com/pt-br/angela-merkel-%C3%A9-reeleita-para-o-quarto-mandato-como-chanceler-federal-da-alemanha/a-42959447

Arquivado em: Biografias