António Lobo Antunes

Pós-graduada em Língua Portuguesa e Literatura (Mackenzie, 2016)
Licenciada em Letras Português-Inglês (FMU, 2012)

Nascido em 1º de setembro de 1942, em Lisboa, António Lobo Antunes é um autor contemporâneo muito importante da literatura portuguesa dos séculos XX e XXI.

Conhecido em nível nacional e internacional, o autor publicou em 1979 os seus primeiros dois livros: “Memória de Elefante” e “Os Cus de Judas”. E no ano seguinte, em 1980, publicou o livro “Conhecimento do Inferno”. A partir de então, António Lobo Antunes publicou 29 romances e cinco volumes que reúnem as suas crônicas publicadas semanalmente na revista Visão.

Formou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa. Mais tarde, o autor foi servir o exército, como médico militar durante a guerra colonial entre 1971 e 1973, em Angola.

Durante esse período, trocou cartas com a sua primeira esposa, Maria José Lobo Antunes. Essas cartas foram reunidas em “D'este viver aqui neste papel descripto: cartas da guerra”, por suas filhas Maria José Lobo Antunes e Joana Lobo Antunes. E mais tarde, originou-se em um filme “Cartas da Guerra” criado por Ivo Ferreira.

Após o cumprimento do serviço militar, especializou-se em psiquiatria, exercendo a função durante alguns anos no Hospital Miguel Bombarda. Depois, o autor decidiu abandonar o ofício para se dedicar à literatura.

Algumas de suas obras estão ligadas ao contexto da guerra colonial. Possuem um estilo de escrita que exige do leitor esforço e concentração durante a leitura, para que ele compreenda melhor o que está escrito na obra. Mesmo com um estilo de escrita considerada mais difícil, o autor tem admiradores por todo o mundo, principalmente no continente europeu.

António Lobo Antunes tem recebido diversos prêmios nacionais e internacionais, sendo eles:

  • Prêmio de Romance e Novela da Associação Portuguesa, por duas vezes;
  • Prêmio Europeu de Literatura, na Áustria;
  • Prêmio Ovídio, na Roménia;
  • Prêmio Internacional de Literatura da União Latina, em Roma;
  • Prêmio Rosalía de Castro, na Galiza;
  • Prêmio Jerusalém de Literatura;
  • Prêmio Ibero-americano das Letras José Donoso; e
  • Prêmio Camões.

No Brasil, o autor conseguiu publicar as suas obras através da Editora Objetiva. Ela conseguiu adquirir os direitos de publicação, em versão original. A editora publicou as seguintes obras: “Boa Tarde às Coisas Aqui em Baixo”, “Memória de Elefante”, “Conhecimento do Inferno”, “Os Cus de Judas”, “Eu Hei-de Amar Uma Pedra”, “Explicação dos Pássaros”, “O Meu Nome é Legião”, “Que Cavalos são Aqueles Que Fazem Sombra no Mar”, “O Arquipélago da Insónia” e “As Naus”.

Ainda em solo brasileiro, o autor foi influenciado pelo seu avô, também de nome António, a ler os seguintes autores de clássicos brasileiros: José de Alencar, Aluísio Azevedo, Machado de Assis e Monteiro Lobato. O seu avô era de Belém, do Pará.

Atualmente, vivendo em Portugal, Lobo Antunes escapou de um câncer e perdeu dois irmãos. Apesar das perdas, o autor lançou no dia 15 de outubro de 2018, o romance “A Última Porta Antes da Noite”, e entregou à editora outra obra, chamada “A Outra Margem do Mar”.

Em entrevista recente, ao jornal “Diário de Notícias”, o autor ressaltou que ficou mais feliz quando foi incluído na Biblioteca Plêiade, do que se tivesse ganhado o Nobel de Literatura.

Fontes:

http://www.historiadeportugal.info/antonio-lobo-antunes/

https://www.jornalopcao.com.br/colunas-e-blogs/imprensa/o-escritor-lobo-antunes-despreza-premio-nobel-de-literatura-e-ataca-jose-saramago-143034/

https://pt.wikipedia.org/wiki/Ant%C3%B3nio_Lobo_Antunes

Arquivado em: Biografias, Escritores