Francis Scott Fitzgerald

Pós-graduada em Língua Portuguesa e Literatura (Mackenzie, 2016)
Licenciada em Letras Português-Inglês (FMU, 2012)

Sempre abrir.

Nascido em 24 de setembro de 1896, em Saint Paul, Holywood, Francis Scott Key Fitzgerald, mais conhecido como F. Scott Fitzgerald, foi um escritor, romancista, contista, roteirista e poeta norte-americano.

Nasceu em uma família de alta classe média, de descendência irlandesa e católica. Foi considerado um dos maiores escritores americanos do século XX, da chamada “geração perdida” da literatura americana.

Ingressou na Universidade de Princeton, mas não chegou a se formar. Nessa mesma época, tornou-se amigo do futuro crítico e escritor Edmund Wilson (1895-1972). Também passou a conviver com famílias da classe alta, um estilo de vida obcecado por ele até o final de sua vida, representado em suas obras.

Durante a primeira guerra mundial, F. Scott Fitzgerald foi recrutado pelo exército em 1917, quando os Estados Unidos entraram para a guerra. Porém, ele não chegou a servir na Europa. Ainda no exército, conheceu a bela Zelda Sayre, de uma família de classe alta do Alabama.

Em 1920, começou a sua carreira literária. Publicou o seu primeiro romance, “This Side of Paradise”. Vendeu 50 mil exemplares, algo fantástico para a época. O sucesso do autor foi imediato, abrindo-lhe espaço em publicações de grande reputação, como a “Scribner's” e o “The Saturday Evening Post”.

Francis Scott Fitzgerald (1928). Foto: Everett Historical / Shutterstock.com

Nesse mesmo ano, fascinado pelo estilo de vida da elite, casou-se com Zelda e no ano seguinte nasceu a filha única do casal.

A vida deles era agitada. Os dois gostavam de viagens, festas, glamour e bebidas. Scott e Zelda se dividiam entre os Estados Unidos e cidades chiques da Europa. Eles tiveram um estilo de vida que os tornou mais famosos quanto às obras de F. Scott.

Em 1922, lançou o seu segundo romance “The Beautiful and Damned” (“Belos e Malditos”). Os críticos consideraram esse livro como sendo baseado na sua relação com a esposa, Zelda Fitzgerald. Ainda no mesmo ano, lançou suas histórias em “Contos da Era do Jazz”. E em 1925, o autor conseguiu concluir o seu terceiro romance, “The Great Gatsby” (“O Grande Gatsby”). Essa obra foi considerada pelos críticos sua mais bem-acabada obra. Ela descreve a vida em alta sociedade, com uma reflexão crítica.

Já em 1930, a história de amor e o estilo de vida do casal tomou um rumo trágico. Zelda Fitzgerald foi diagnóstica com esquizofrenia.

A vida agitada de Scott não lhe permitiu criar mais romances. Ele se tornou escritor de crônicas e ensaios, publicados em revistas. Mas em 1934, o autor publicou o romance “Tender is the Night” (“Suave é a Noite”). A obra não foi bem-recebida pela crítica da época, mas hoje ela é considerada um de seus melhores trabalhos.

Já entregue ao alcoolismo, Scott mudou-se para Holywood. Lá, começou a trabalhar como roteirista de cinema até os últimos três anos de sua vida. Nessa época, o autor escreveu ensaios autobiográficos que foram publicados depois, com o nome de “The Crack-up” (“O Colapso”). E no ano de sua morte, em 1940, também escreveu o romance inacabado “The Last Tycoon” (“O Último Magnata”), que foi publicado e editado pelo amigo Edmund Wilson. Mais tarde transformou-se em filme, que foi considerado um sucesso em Hollywood.

Em 1940, aos 44 anos, Francis Scott Fitzgerald morre de um ataque cardíaco. E em 1948, Zelda Fitzgerald, sua esposa, morre em um incêndio no hospital que estava internada.

Fontes:

https://educacao.uol.com.br/biografias/scott-fitzgerald.jhtm

https://www.lpm.com.br/site/default.asp?TroncoID=805134&SecaoID=948848&SubsecaoID=0&Template=../livros/layout_autor.asp&AutorID=925363

https://pt.wikipedia.org/wiki/F._Scott_Fitzgerald

https://pt.wikipedia.org/wiki/Zelda_Fitzgerald

Arquivado em: Biografias, Escritores