Francis Scott Fitzgerald

Pós-graduada em Língua Portuguesa e Literatura (Mackenzie, 2016)
Licenciada em Letras Português-Inglês (FMU, 2012)

Nascido em 24 de setembro de 1826, em Saint Paul, Holywood, Francis Scott Key Fitzgerald, mais conhecido como F. Scott Fitzgerald, foi um escritor, romancista, contista, roteirista e poeta norte-americano.

Nasceu em uma família de alta classe média, de descendência irlandesa e católica. Foi considerado um dos maiores escritores americanos do século XX, da chamada “geração perdida” da literatura americana.

Ingressou na Universidade de Princeton, mas não chegou a se formar. Nessa mesma época, tornou-se amigo do futuro crítico e escritor Edmund Wilson (1895-1972). Também passou a conviver com famílias da classe alta, um estilo de vida obcecado por ele até o final de sua vida, representado em suas obras.

Durante a primeira guerra mundial, F. Scott Fitzgerald foi recrutado pelo exército em 1917, quando os Estados Unidos entraram para a guerra. Porém, ele não chegou a servir na Europa. Ainda no exército, conheceu a bela Zelda Sayre, de uma família de classe alta do Alabama.

Em 1920, começou a sua carreira literária. Publicou o seu primeiro romance, “This Side of Paradise”. Vendeu 50 mil exemplares, algo fantástico para a época. O sucesso do autor foi imediato, abrindo-lhe espaço em publicações de grande reputação, como a “Scribner's” e o “The Saturday Evening Post”.

Francis Scott Fitzgerald (1928). Foto: Everett Historical / Shutterstock.com

Nesse mesmo ano, fascinado pelo estilo de vida da elite, casou-se com Zelda e no ano seguinte nasceu a filha única do casal.

A vida deles era agitada. Os dois gostavam de viagens, festas, glamour e bebidas. Scott e Zelda se dividiam entre os Estados Unidos e cidades chiques da Europa. Eles tiveram um estilo de vida que os tornou mais famosos quanto às obras de F. Scott.

Em 1922, lançou o seu segundo romance “The Beautiful and Damned” (“Belos e Malditos”). Os críticos consideraram esse livro como sendo baseado na sua relação com a esposa, Zelda Fitzgerald. Ainda no mesmo ano, lançou suas histórias em “Contos da Era do Jazz”. E em 1925, o autor conseguiu concluir o seu terceiro romance, “The Great Gatsby” (“O Grande Gatsby”). Essa obra foi considerada pelos críticos sua mais bem-acabada obra. Ela descreve a vida em alta sociedade, com uma reflexão crítica.

Já em 1930, a história de amor e o estilo de vida do casal tomou um rumo trágico. Zelda Fitzgerald foi diagnóstica com esquizofrenia.

A vida agitada de Scott não lhe permitiu criar mais romances. Ele se tornou escritor de crônicas e ensaios, publicados em revistas. Mas em 1934, o autor publicou o romance “Tender is the Night” (“Suave é a Noite”). A obra não foi bem-recebida pela crítica da época, mas hoje ela é considerada um de seus melhores trabalhos.

Já entregue ao alcoolismo, Scott mudou-se para Holywood. Lá, começou a trabalhar como roteirista de cinema até os últimos três anos de sua vida. Nessa época, o autor escreveu ensaios autobiográficos que foram publicados depois, com o nome de “The Crack-up” (“O Colapso”). E no ano de sua morte, em 1940, também escreveu o romance inacabado “The Last Tycoon” (“O Último Magnata”), que foi publicado e editado pelo amigo Edmund Wilson. Mais tarde transformou-se em filme, que foi considerado um sucesso em Hollywood.

Em 1940, aos 44 anos, Francis Scott Fitzgerald morre de um ataque cardíaco. E em 1948, Zelda Fitzgerald, sua esposa, morre em um incêndio no hospital que estava internada.

Fontes:

https://educacao.uol.com.br/biografias/scott-fitzgerald.jhtm

https://www.lpm.com.br/site/default.asp?TroncoID=805134&SecaoID=948848&SubsecaoID=0&Template=../livros/layout_autor.asp&AutorID=925363

https://pt.wikipedia.org/wiki/F._Scott_Fitzgerald

https://pt.wikipedia.org/wiki/Zelda_Fitzgerald

Arquivado em: Biografias, Escritores