Papa Eleutério

Mestrado em História (UFJF, 2013)
Graduação em História (UFJF, 2010)

Eleutério foi o 13º papa da história da Igreja Católica.

Nascido em Épiro, na Grécia, no ano 130, sabe-se pouco sobre a vida de Eleutério. Ele viveu em um período que podemos chamar ainda de cristianismo primitivo, no qual os seguidores da fé cristã conviviam com muitas dificuldades porque eram perseguidos pelos pagãos dominantes da época. Naquele tempo, o culto cristão era proibido e condenado em muitos lugares, o que resultou em uma série de papas martirizados. Eleutério, cujo nome em grego significa livre, enfrentou as dificuldades da época, porém gozou de condições relativamente boas durante seu papado, que teve início no ano 175, sucedendo o Papa Sotero.

O pontificado do Papa Eleutério foi inicialmente pacífico porque o imperador Cômodo não era um perseguidor dos cristãos. Isso não quer dizer que era um cristão em fé, pelo contrário, era pagão. Porém não se importava com a questão da perseguição aos cristãos. Essa condição já conferiu relativa paz a Eleutério para conduzir seu papado. Diz-se ainda que o papa teria recebido cartas do rei Lúcio de uma parte da Bretanha pedindo que o pontífice enviasse missionários para instruir seu povo na fé cristã. O pedido teria sido correspondido e os padres Damião e Fugácio teriam sido os responsáveis pelo batizado de Lúcio, de sua rainha e de grande parte de sua população. Mas esta não é uma história fundamentada em fatos históricos, não há dados que comprovem a ocorrência da situação. Porém ela ilustra o momento singular dos católicos em meio a tantas perseguições da época.

Com um pouco de liberdade para agir em função da Igreja Católica, o Papa Eleutério foi quem resolveu a questão judaica sobre alimentos puros e impuros. Embora as duas religiões tivessem traços comuns em suas essências, catolicismo e judaísmo, aos poucos, iam se distinguindo, e Eleutério foi fundamental neste caso. Os católicos deixaram de conviver com restrições alimentares, como acontece com os judeus, nessa época. Outra medida importante para a tradição litúrgica dos católicos aplicada pelo Papa Eleutério foi considerar o papa como sucessor de Pedro. O estabelecimento desse costume reafirmava Pedro como o Pai da Igreja, o primeiro a divulgar a obra de Jesus Cristo, o primeiro papa. E, por fim, ele introduziu as primeiras normas para celebração da Páscoa.

O pontificado de Eleutério foi marcado também pelo combate à doutrina montanista, um movimento cristão organizado e difundido em comunidades da Ásia Menor, em Roma e no norte da África, que caracterizava-se como a volta ao profetismo, pretendendo revalorizar elementos esquecidos da mensagem cristã primitiva, com destaque para a esperança escatológica. Ou seja, no que se refere ao fim do mundo. A doutrina montanista era considerada excessiva e foi amplamente combatida pelos católicos.

O Papa Eleutério permaneceu em seu pontificado por 14 anos e faleceu aos 59 anos de idade, em 189. Seu sucessor foi o Papa Vitor I.

Fontes:
DUFFY, Eamon. Santos e Pecadores: história dos Papas. São Paulo: Cosac & Naify, 1998.
FISCHER-WOLLPERT, Rudolf. Os Papas e o Papado. Petrópolis: Editora Vozes.
THOMAS, P. C. A Compact History of the Popes. St Paulos BYB, 2007.

Arquivado em: Biografias