Papa Vitor I

Mestrado em História (UFJF, 2013)
Graduação em História (UFJF, 2010)

Vitor I foi o 14º papa da história da Igreja Católica.

Nascido na Tunísia no ano 155, Vitor era proveniente de uma província romana e era filho de Félix, única informação precisa que se conhece sobre sua família e sua vida antes de se tornar papa. Sabe-se que Vitor cresceu sob influência do cristianismo e do Império Romano, uma combinação que ainda não era muito saudável em sua época, pois os cristãos sofriam com perseguições diversas.

Com o falecimento do Papa Eleutério, Vitor foi eleito para ser o sucessor como Bispo de Roma. Ele assumiu a liderança da recente Igreja Católica no ano 189, momento em que os cristãos se aproximavam de melhores condições de vida e de culto no Império Romano. O Papa Vitor I foi mais significativo para a história da instituição religiosa no que se refere às tradições dos rituais litúrgicos. Foi ele quem flexibilizou o processo de batismo ao estabelecer que qualquer água poderia ser utilizada no caso de faltar água benta nessas celebrações. Foi o Papa Vitor I também que estabeleceu o domingo como dia sagrado para se respeitar a memória da ressurreição de Jesus Cristo, o que era feito no sábado. No mesmo sentido, Vitor I determinou que a Páscoa sempre seria celebrada no domingo também, o que causou o desagrado de muitos bispos. Em resposta, o Sumo Pontífice excomungou todos os bispos que se opuseram à mudança. Por fim, ainda no que se refere à liturgia, ele quem estabeleceu a celebração das missas em latim, e não mais em grego. Todas as suas medidas que influenciaram diretamente na tradição dos rituais católicos foram ratificadas mais de um século depois no Concílio de Niceia, realizado na cidade que dá nome ao encontro no ano 325.

O Papa Vitor I permaneceu cerca de dez anos como Bispo de Roma, mas sua atuação foi muito marcante para a história da Igreja Católica. As medidas que tomou na liderança da instituição religiosa marcam profundamente o culto católico atual. À exceção do idioma no qual as missas são celebradas, muitos dos costumes cristãos que marcam a sociedade ocidental são provenientes de sua época. Ainda que tenha sido marcante no sentido litúrgico e que sua época já apresentasse melhoras para a vida cotidiana dos fieis, o Papa Vitor I foi, provavelmente, vítima da chamada quinta perseguição, promovida pelo imperador romano Sétimo Severo, que era pagão. Acredita-se que Vitor I tenha sido martirizado nesse contexto e sua vida tenha se encerrado aos 44 anos de idade no ano 199.

Santificado mais tarde, o Papa Vitor I foi sucedido pelo Papa Zeferino.

Fontes:
DUFFY, Eamon. Santos e Pecadores: história dos Papas. São Paulo: Cosac & Naify, 1998.
FISCHER-WOLLPERT, Rudolf. Os Papas e o Papado. Petrópolis: Editora Vozes.

Arquivado em: Biografias