Papa Estevão I

Mestrado em História (UFJF, 2013)
Graduação em História (UFJF, 2010)

Estevão I foi o 23º papa da história da Igreja Católica.

Nascido em Roma no ano 210, Estevão era proveniente de uma família de nobres. Vivenciou uma época imediatamente posterior à conversão do Império Romano ao cristianismo, ou seja, quando Roma trocou oficialmente o paganismo pela religião de Jesus Cristo. Embora ainda houvesse alguma perseguição aos cristãos, era um momento favorável para a Igreja Católica, que se expandia pelo império e conquistava poderes políticos.

Estevão era homem religioso e reconhecido membro da Igreja. Quando seu antecessor faleceu, Lúcio I, ele foi eleito no dia 12 de maio de 254 para ser o novo líder da instituição religiosa. Seu papado seria curto e conturbado, apesar do crescente poder e da crescente influência da Igreja Católica. O Papa Estevão I teve desavenças com as igrejas do continente africano e do continente asiático, com as quais travou um embate acerca da supremacia da sede romana. Foi muito rígido como homens considerados hereges, os quais não aceitava reintegrar à Igreja Católica. Por conta disso, envolveu-se em discussão com Cipriano de Cartago sobre o rebatismo de hereges. Também foi intolerante na reabilitação de bispos que eram acusados de apostasia.

O Papa Estevão I enfrentou muitos problemas e os potencializou em função de sua intransigência. Quando assumiu o papado, já havia um antipapa em exercício. Era um estudioso conhecido como Novaciano que antagonizava a figura do papa romano desde 251. Novaciano tinha o apoio de muitos nobres e religiosos, o suficiente para o manter com relativa estabilidade em confronto com os papas romanos. Todavia Estevão I intensificou as disputas cismáticas e abalou a zona de conforto de Novaciano. Estevão I conseguiu reunir as igrejas que antes estavam desunidas, porém não foi capaz de derrubar Novaciano em vida. O papa romano abriu caminho para acabar com o poderio e a estabilidade do antipapa vigente. No entanto, não viveu o suficiente para vê-lo derrotado. No meio desse confronto havia outro personagem, o imperador romano Valeriano. Este foi responsável pela perseguição ao papa e ao antipapa. Estevão I foi caçado pelo imperador romano e, segundo consta, martirizado. O papa faleceu no dia dois de agosto de 257. O antipapa, contudo, também foi alvo de perseguição do imperador romano. Logo após a morte de Estevão I, Novaciano fugiu para tentar escapar da perseguição de Valeriano. Não se sabe ao certo se ele também foi martirizado, mas faleceu no ano 258. Só que Novaciano deixaria marcas cismáticas por muitos séculos na Igreja Católica, em função das seitas que estabeleceu.

O Papa Estevão I foi canonizado pela Igreja Católica e é chamado de São Estevão. Seu sucessor foi o Papa Sisto II.

Fontes:
DUFFY, Eamon. Santos e Pecadores: história dos Papas. São Paulo: Cosac & Naify, 1998.
FISCHER-WOLLPERT, Rudolf. Os Papas e o Papado. Petrópolis: Editora Vozes.
MCBRIEN, Richard P. Os Papas: os pontífices de São Pedro a João Paulo II. São Paulo: Edições Loyola, 2000.

Arquivado em: Biografias