Gnatostomados

Gnathostomata é uma superclasse do subfilo Craniata (filo Chordata). O nome da superclasse vem da presença de mandíbulas nos animais que a ela pertencem. As mandíbulas foram derivadas de arcos brânquias. Além disso os gnatostomados apresentam os membros em pares, três canais semicirculares no ouvido e dentes com base de dentina.

Destaca-se o aparecimento das mandíbulas pelo fato de, além de ser uma nova característica compartilhada por um grupo de animais, elas proporcionaram a diversificação do alimento, do sistema digestivo e uma nova forma de proteção e ataque.

Placodermi é uma classe já extinta do gnatostomados, porém é de grande importância, pois é considerado o primeiro grupo de animais que evidenciou as características da superclasse. Esses animais tinham 50% da parte anterior do corpo coberta por placas ósseas grossas. Seus corpos achatados sugerem que eles eram habitantes de áreas próximas ao solo.

Sistemática

Quando falamos de gnatostomados incluímos também os peixes ósseos, cartilaginosos, tetrapodomorphas e tetrapodas.

Peixes ósseos

Dos peixes ósseos há três grupos existentes: Actinopterygii, Sarcopterygii e Tetrapodomorpha. Actinopterygii são os peixes ósseos que vemos comumente em rios, mares, lagos e lagoas. Dentre eles estão os esturjões, gars, sardinhas, piranhas, peixe-lua, salmão etc. Eles têm como características gerais três otólitos no ouvido interno, suas nadadeiras são sustentadas por raios ósseos (lepidotichia) e seus corpos são cobertos por escamas.

Sarcopterygii são os peixes pulmonados e os celacantos e ambos têm apenas dois otólitos e suas nadadeiras são lobadas. Acreditou-se por anos que o celacanto estivesse extinto por não ter sido encontrado mais na natureza, porém em 1938, na África do Sul, uma espécie foi novamente encontrada e em 1997 uma segunda espécie foi descoberta na Indonésia. Os celacantos possuem um único espinho ao invés da primeira nadadeira dorsal, sua nadadeira caudal tem três lobos ocos e várias aberturas na narina associadas com eletro recepção. Os peixes pulmonados são peixes de água doce com corpo cilíndrico que têm as nadadeiras dorsais, caudal e anal fundidas, seus dentes também são fundidos formando placas. Em épocas secas, esses peixes se enterram no barro, entram em estado de dormência respirando por um pulmão bem primitivo que seria uma bolsa com inúmeros vasos perto da faringe.

Tetrapodomorphas

Os Tetrapodomorphas são animais já extintos considerados os ancestrais dos tetrapodas. Algumas características analisadas são: olhos na mesma posição, sempre próximos um dos outros na parte superior do crânio; as mesmas divisões da parte frontal do crânio em frontal, parietal e nasal; nadadeiras pares com estruturas bem parecidas com os ossos dos membros dos tetrapodas (fêmur, tíbia, rádio etc).

Peixes cartilaginosos

Esses peixes também são chamados de Chondrichthyes, pois eles têm a maior parte do esqueleto feito de cartilagem. Há duas subclasses nesse grupo, os elasmobrânquios e os holocéfalos. Os elasmobrânquios são os tubarões e as raias e os holocéfalos são as quimeras. Além do esqueleto cartilaginoso, os animais desses grupos também apresentam clásper, órgão reprodutor masculino. As diferenças entre as duas subclasses estão entre a presença de opérculo na segunda, assim como a não projeção da mandíbula na captura de alimento.

Tetrapoda

Os tetrápodes são todos os animais que possuem quatro membros como os anfíbios, répteis, aves e mamíferos. Esses animais têm uma relação mais próxima com o ambiente terrestre do que os demais gnatostomados.

Referências bibliográficas:

Referência: Helfman, A Diversidade dos Peixes, 2 edição, 2009 – Páginas 175 a 204

Arquivado em: Cordados