Sealyham Terrier

Sealyham Terrier é uma raça de cão de pequeno porte, oriunda do País de Gales. Foi desenvolvida no final do século XVIII, pelo capitão John Edwardes, em Sealyham House, para ser um cão de trabalho.

Ficou popular após a Primeira Guerra Mundial, passando a ser associado a estrelas de Hollywood e membros da família real britânica. Contudo, nos dias atuais, esta raça tem perdido a popularidade.

Sealyham Terrier. Foto: Capture Light / Shutterstock.com

Descrição

Os cães desta raça são substanciosos dentro de um diminuto volume, apresentam contorno geral longo, sem ser arqueado. O tamanho não deve ultrapassar 31 cm nos ombros, com os machos alcançando até 9 kg e as fêmeas 8,2 kg.

O pescoço é ligeiramente longo, grosso e musculoso, sendo bem inserido nos ombros.

O crânio é levemente abobadado, largo entre as orelhas. A trufa destes animais é preta. Os olhos são escuros, arredondados e bem inseridos na órbita ocular. As orelhas são de tamanho médio, levemente arredondadas nas pontas e portadas nas laterais das bochechas.

No passado, era costume realizar a caudectomia (corte da cauda), sendo que a cauda cortada deveria apresentar comprimento médio, com a ponta arredondada, enquanto que a cauda normal não é muito longa e confere equilíbrio ao cão, evidenciando-se grossa em sua raiz afunilando-se em direção a ponta. De modo ideal, deve ser portada ereta, mas não exageradamente voltada para as costas e sem curvas ou torções.

O pelo destes cães é longo, áspero e de arame. Possui um subpelo que confere resistência às variações climáticas. A coloração pode ser toda branca, branca com manchas limão, marrom, azul ou cor de texugo na cabeça e nas orelhas. Também pode ser completamente preto ou mosqueado, porém não é desejável.

Temperamento

São animais que, apesar de gostarem da companhia de seres humanos e outros animais, ficam muito bem quando deixados sozinhos. Pode ser um animal teimoso e barulhento, porém de personalidade forte. São alertas, corajosos e grandes companheiros de seus donos.

Saúde

Apresentam algumas desordens específicas da raça, sendo que os dois problemas principais são a mielopatia degenerativa e a luxação do cristalino. Esta primeira pode deixar o cão paraplégico, enquanto que a segunda desordem pode levar ao desenvolvimento de glaucoma e, em muitos casos, a danos irreparáveis no nervo óptico, que resulta em cegueira total ou eventual.

Fontes:
http://en.wikipedia.org/wiki/Sealyham_Terrier
http://www.cbkc.org/padroes/pdf/grupo3/sealy.pdf

Arquivado em: Cães