Tríade da Comunicação: Linguagem, Língua e Fala

Linguagem: a linguagem é todo sistema verbal e não verbal pré-estabelecido que nos permite a realização da comunicação. Características do sistema verbal e não-verbal:

a) Verbal: o destaque na comunicação são as palavras.

b) Não-verbal: não considera as palavras, mas outros sinais. Como exemplo de linguagem não-verbal são os sinais de trânsito, gestos faciais, gestos corporais, etc.

Língua: é uma forma de linguagem. A língua é baseada em palavras, ou seja, em uma comunidade, um determinado grupo de indivíduos usa a linguagem verbal. Como exemplo, duas falas estrangeiras são línguas diferentes.

Fala: os sinais utilizados pelo indivíduo é a linguagem oral. É um ato singular, pois cada indivíduo pode optar pelas variedades da língua que desejar para exposição da fala. Conforme o momento, o contexto, sua personalidade, o ambiente sociocultural que está inserido, etc.

Na unidade da língua existe uma enorme variação nos diversos níveis da fala. Além da sua própria fala é importante conhecer a fala dos outros para sermos capazes de efetuar um diálogo eficaz. Mesmo que a comunicação seja com diversas pessoas de variadas culturas e que haja algumas alterações na linguagem delas.

Níveis da fala

Há uma característica individual da fala, por isso observamos variados níveis:

Nível coloquial-popular: é uma fala mais utilizada na rotina das pessoas, constantes nas situações informais. É mais usada na fala espontânea, a maioria dos indivíduos não se preocupam com a forma culta da língua ao falar em um ambiente não-formal.

Exemplo: “Xaxado, já imaginô se nois dois fosse astrornata?”.

Chico Bento e a Turma do Xaxado.

Nível formal-culto: existe nesse nível preocupação com a forma correta das regras gramaticais da nossa língua. Geralmente utilizada em situações formais. Há cautela com o vocabulário e obediência com a norma culta da língua.

Exemplo: “A busca para compreender o cérebro humano acaba de dar um passo importante. Um estudo publicado na revista americana "Science" apresentou o primeiro modelo computacional do cérebro capaz de simular comportamentos humanos complexos, como realizar somas e completar séries de números”.

Folha de São Paulo, 16 de dezembro de 2012, Ciência.

O signo linguístico é um elemento representativo na tríade da comunicação. Existem dois aspectos: o significado e o significante. A nossa memória é um fator fundamental nesse processo. Escutamos uma palavra e logo após a reconhecemos devido a nossa lembrança. Essa lembrança ocorre porque o nosso cérebro armazenou uma real imagem sonora dessa palavra, isso acontece devido o elemento significante. Ao realizar o conceito da palavra escutada denominamos de significado que também se encontra armazenado na nossa memória.

Deve-se obedecer aos padrões determinados de organização. É essencial em uma língua tanto o reconhecimento de seus signos, como o uso correto de suas regras gramaticais convencionais.

Referências Bibliográficas:
Azevedo, Benedita. Site: www.recantodasletras.com.br
Chico Bento e a Turma do Xaxado. Site: www.historiaequadrinhos.com.br.
Site: http://www.soportugues.com.br
Jornal Folha de São Paulo. Ciência. 16/12/12.

Arquivado em: Comunicação